O que o ciclista procura no mecânico de bicicletas?

Conhecimento? Organização? Atendimento de qualidade? Agilidade? Confiança? O que o ciclista procura na hora de contratar os serviços de um mecânico de bicicletas? A Escola Park Tool, primeira instituição especializada na formação e capacitação desses profissionais, fez essa pergunta para grandes influenciadores do meio bike.

Quer saber quais foram as respostas? Veja abaixo:

img_9115

. Cadu Polazzo, técnico da Seleção Brasileira de Mountain Bike: “eu procuro um profissional que tenha conhecimento completo sobre toda a mecânica da bicicleta. Esse é um passo muito importante. Um bom mecânico também procura ensinar coisas básicas para o ciclista conseguir se virar no meio da trilha. Seria muito legal o mecânico ensinar uma coisa nova a cada visita à oficina. Instruções como trocar um pneu ou ajustar o freio, que são informações de mecânica básica para que o ciclista tenha autonomia durante o pedal”.

fabio-miyata

Foto: Fábio Miyata/Reprodução/Facebook

. Willian Cruz, editor do site Vá de Bike: “o principal é o profissional não tentar me enrolar, pois aí eu perco a confiança para sempre e nunca mais volto na oficina. E isso tanto em termos de não conseguir resolver, quanto de inventar problema para tentar ganhar mais dinheiro. Por outro lado, sinceridade me fideliza. Errar todo mundo erra, mas é preciso admitir e resolver se for o caso”.

ney-evangelista

Foto: Ney Evangelista/Reprodução/Facebook

. Rafael Oliveira, editor da revista Ride Bike: “um bom mecânico tem que transmitir confiança sem ficar empurrando serviços. E ter o cuidado necessário para mexer com um equipamento tão valioso. O conhecimento é a base para ele poder deixar a bike em perfeito estado. Além disso, me avisar quando chegar a hora de trocar peças como por exemplo: ‘Olha, sua corrente já está no limite, então sugiro pedalar mais alguns quilômetros e depois trocar para não danificar o cassete, coroa e roldanas. Fazendo isso, além de economizar, você vai manter o rendimento do equipamento sempre bom’”.

formatfactorylais_saes006

Foto: Murilo Rezende/Seppia Geração de Conteúdo

Lais Saes, atleta Scott de mountain bike: “o mecânico de bicicletas deve ser detalhista e acima de tudo ter consciência do que está fazendo. Ele deve estar sempre se especializando nas novas tecnologias, pois o mercado lança uma peça nova a cada dia ou aperfeiçoa algo que já existe. É fundamental que o mecânico acompanhe essas mudanças. Ele não pode ser um profissional que simplesmente lava a bicicleta. Ele deve conhecer e gostar do que faz”.

Capacitação e qualificação

Para dar mais qualidade e credibilidade ao mecânico de bicicletas, a Escola Park Tool conta com mais de 10 módulos diferentes disponíveis em sua grade. Lembrando que, no Brasil, ela é a única instituição que possui reconhecimento internacional em sua formação. Saiba mais

Entre no site www.escolaparktool.com.br ou veja no Facebook www.facebook.com/escolaparktool.

Carreira: 6 modelos de negócios para o mecânico de bicicleta

A Escola Park Tool é a primeira instituição especializada na formação, capacitação e qualificação em mecânica de bicicleta na América Latina. Já são mais de 2 mil alunos formados. Mas todos atuam como mecânicos em oficinas? Não. Existe uma infinidade de segmentos que um profissional pode seguir ao adquirir o conhecimento e a certificação internacional da instituição.

Mais do que entregar o diploma, a Escola Park Tool se preocupa em oferecer ao apaixonado por bicicleta a oportunidade de trabalhar com o que ele realmente ama. Quer saber como? Veja abaixo:

1- Bike café

Uma tendência onde o ciclismo urbano é forte, os bikes cafés são pontos de encontro entre ciclistas. É uma alternativa, caso você seja uma pessoa que tenha o sonho de trabalhar no setor de alimentação. O ciclista pode deixar a bicicleta no seu estabelecimento e aproveitar para tomar um café enquanto espera o reparo ser feito. Bem legal, não é mesmo?

“Quando fiz o curso da Escola Park Tool aprendi a atender melhor o meu cliente. Não basta você arrumar a bicicleta. Você precisa buscar o diferencial, dar o diagnóstico e, se possível, avisá-lo antes de um problema maior”, comenta Eriston dos Santos, ex-aluno, mecânico e sócio da Vento a Favor Ciclo Café.

2- Bike Delivery

Rotinas aceleradas em grandes cidades pode ser mais comum do que a gente imagina. As pessoas tem cada vez menos tempo para cuidar da sua bicicleta. Às vezes, o ciclista prefere mandar a bike para a revisão no fim de semana, quando a oficina está cheia. Aí entra o diferencial do Bike Delivery. Buscar a magrela na casa do cliente, fazer os reparos e devolvê-la novinha. Pode ser uma nova carreira para um mecânico de bicicletas.

“Nesse meio, muitos são mecânicos pela prática, mas não têm a teoria. Na escola, eles oferecem essa base que faz toda a diferença quando você entre no mercado de trabalho”, afirma Felipe Wada, ex-aluno da Escola Park Tool e dono de uma oficina que presta serviços delivery.

3- Carreira Internacional

Existem muitos países que o mecânico de bicicletas é uma profissão extremamente valorizada. Por isso, a Escola Park Tool possui alunos formados em mais de seis nações diferentes. Um desses ex-alunos é Rodrigo Notaro, que abriu uma oficina em Sidney (Austrália).

“Trabalho três vezes por semana. Mesmo assim uso muito o conhecimento que adquiri na Escola Park Tool não só no meu trabalho, mas também todos os dias nas bicicletas que monto ou conserto”, contou.

Exemplo clássico: ao formar-se na escola, o conhecimento passa a ser do aluno, assim como o nosso certificado que é reconhecido internacionalmente. Com tudo em mãos, basta criar coragem para encarar esse novo desafio.

4- Consultoria

Já tem formação profissional? Por que não unir esse conhecimento com o conteúdo aplicado na Escola Park Tool? Um de nossos alunos, Bruno Uehara formou-se em arquitetura pela USP, mas não se adaptou ao mercado. Profissional muito talentoso e um verdadeiro apaixonado por bicicletas, ele terminou o curso de formação profissional e veio trabalhar dentro da escola como consultor.

Hoje, Bruno orienta os profissionais a organizarem sua loja, deixando-a mais bonita e aproveitando melhor o espaço utilizado. O trabalho de consultoria é bem valorizado, mas o profissional deve ter aquele espírito empreendedor e sempre vontade de aprender. Se você não tem esse perfil, não tem problema. Temos outras indicações…

5- Oficina

Ter em mãos um certificado de mecânico de bicicletas é o primeiro diferencial para quem planeja abrir sua própria oficina. Além de todo conteúdo teórico e prático, a Escola Park Tool se preocupa em ensinar o aluno a atender e entender o cliente. Isso faz com que o profissional saiba mais do que encontrar a solução para o problema. Ele aprende a alertar o ciclista sobre prevenções, evitando gastos desnecessários em manutenção no futuro.

“Depois que voltei de São Paulo, consegui reestruturar a oficina e comecei de verdade o trabalho. Não tenho dúvidas que o curso só me fez aprender mais e crescer profissionalmente”, disse Leonardo Amante, ex-aluno que abriu sua própria oficina em Recife-PE.

6- Loja

Abrir sua própria loja também é uma opção. Ao entender melhor sobre o mecânica, o lojista terá mais conhecimento na hora comprar ou vender um produto. Isso sem falar que ele poderá orientar seus funcionários (mecânicos ou vendedores) e clientes a passar a informação correta.

“Sempre quis abrir a minha loja, mas eu precisava conhecer de verdade sobre a bike. Eles formalizam o jeito de trabalhar com a bicicleta. Os padrões e organização, além das ferramentas adequadas em cada situação. Realmente foi ótimo e pude adquirir o conhecimento necessário para aplicar em minha oficina”, comentou Guilherme Oliveira Moreira – abriu a própria loja em Barbacena-MG.

Esses são só alguns exemplos. Imagine que tem muito mais. Gostou? Então, fique de olho nas novidades da Escola Park Tool! Entre no site www.escolaparktool.com.br ou veja no Facebook www.facebook.com/escolaparktool.