Selo de Qualidade: Diego Hertel é o vencedor do ranking da Escola Park Tool em abril

Mecânico profissional formado na Escola Park Tool, Diego Hertel está novamente no topo do ranking do Selo de Qualidade promovido pela instituição de ensino. Este ano ele já ocupou a primeira posição no mês de fevereiro e, novamente, alcançou o topo do ranking em abril. É a prova que, esforço, capacitação e trabalho duro, são capazes de gerar reconhecimento pelo seu ótimo trabalho e, por isso, voltou a primeira posição do ranking de mecânicos do Brasil.

Nós da Escola Park Tool entramos em contato para parabeniza-lo e fizemos algumas perguntas sobre o seu feito. Segundo o Diego, a Escola Park Tool proporcionou uma mudança total na sua atuação, migrando dos clientes que utilizam a bicicleta sazonalmente para clientes que são ciclistas de fato.

“O curso é responsável por eu estar onde estou hoje, o curso abriu a minha mente para tudo, para o que é o ciclismo de fato, a profissionalização abriu portas para atingir o mercado dos ciclistas, não apenas as pessoas que andam de bike de vez em quando, me tornando assim um profissional referencia no que faço”, explicou o primeiro colocado do ranking do Selo de Qualidade.

Para Diego, o conhecimento técnico é muito importante, mas não só isso. Ele reconhece que, para o cliente ficar realmente satisfeito com o serviço prestado, a qualidade do serviço tem que vir acompanhada de um ótimo atendimento.

E é isso que ele faz a todo momento, procura atuar com a maior excelência possível em todas as etapas do processo. Desde o momento em que o cliente realiza o primeiro contato até a entrega da bike, ele considera a qualidade do serviço e atendimento fundamentais para a sua conquista do selo de qualidade.

Esse esforço em proporcionar uma experiência de serviço e atendimento agradável aos seus clientes faz Diego buscar sempre a capacitação e conhecimento sobre as novas tecnologias do mercado de bicicletas. “Sempre me atualizo de novas tecnologias, e os próprios clientes reconhecem essa capacitação em constante evolução como um diferencial.”

Da pra entender porque o Diego está novamente no topo do ranking dos mecânicos de bicicleta, não é mesmo? Com esforço, conhecimento e trabalho árduo todos os nossos alunos têm a chance de conquistar essa posição.

Esta foi uma forma que a Escola Park Tool encontrou para recompensar nossos alunos, que são excelentes profissionais, elevando sempre o patamar de excelência dos serviços prestados.

E se você tem dúvida se vale a pena o esforço, Diego enfatiza: “Independente do Selo, meu objetivo é prestar um ótimo serviço desde o atendimento inicial até a entrega da bike ao cliente. Mas, claro, o ranking do Selo de Qualidade é um estímulo para fazer um agrado a mais ao cliente e garantir mais essa conquista.”

Formado na Escola Park Tool, Ricardo Nagatomo mostra como ser feliz trabalhando com bicicleta

Muitas pessoas nem imaginam, mas boa parte dos alunos formados na Escola Park Tool veio de outros mercados de trabalho. Eles nos procuram inicialmente por serem apaixonados por bicicleta, mas quando entram para assistir a primeira aula do módulo percebem que aquele pode ser um ponto de mudança na carreira, quando aprendem como ser feliz profissionalmente.

Mas como ser feliz – de verdade – com o meu trabalho? Se você gosta de bicicletas, tornando-se mecânico capacitado ou exercendo uma outra função dentro do segmento é um bom caminho. Para lhe ajudar com uma boa história inspiradora, vamos contar a trajetória de Ricardo Mitsuaki Nagatomo, 44 anos, formado dentro da Escola Park Tool.

Financeiro, RH e cobranças

Antes de entrar no mercado de bicicletas, Ricardo era coordenador administrativo numa empresa de instalação de ar condicionados. Entre suas funções, ele era o responsável pela parte financeira, o RH e as cobranças do negócio.

“Nessa época eu procurei a assessoria de um profissional especializado em coaching. Foi nesse processo quando eu finalmente descobri que uma paixão de infância poderia se tornar minha profissão”, conta Ricardo.

Então, Ricardo buscou o sonho de trabalhar com bicicleta, sua paixão desde a infância. A resposta da pergunta “como ser feliz?” estava mais perto do que ele imaginava.

Capacitação e qualificação

“Encontrei a Escola Park Tool na internet. Depois me matriculei e completei todos os módulos da formação profissional (módulos iniciante, intermediário, avançado, relação, freio hidráulico, rodas, cubo de marcha interna, Di2, suspensões Manitou e Rock Shox). Achei o curso bastante completo e com excelente estrutura para desenvolver a parte prática”, comenta.

Hoje, Ricardo atua no mercado de bicicletas. Mais precisamente na Escola Park Tool como mecânico e coordenador de estágios práticos. Depois de muito trabalho, dedicação e estudo ele finalmente trabalha com aquilo que mais gosta. Se o Ricardo conseguiu, o que impediria você de chegar até lá, não é mesmo?

Gostou do conteúdo? Mande sugestões para a gente saber que tipo de notícia você mais gostaria de ler! E se quiser ficar mais por dentro das outras novidades, siga a gente nas redes sociais no Facebook e no Instagram.

Bike Especialista: assista ao Episódio 2 do desafio

Depois de encarar a primeira etapa prática instalando o ciclocomputador CatEye nas bicicletas, os quatro participantes do Bike Especialista encararam um desafio de alto nível técnico com suspensões SR Suntour. Cada mecânico de bicicleta deveria apontar o problema no equipamento e realizar o procedimento correto para solucioná-lo.

Todas decisões dos candidatos deveriam estar de acordo com os padrões exigidos pela marca, pela Intac e pela Escola Park Tool. Veja abaixo um teaser do que rolou na nossa oficina:

Fique de olho nas nossas redes sociais e confira todas as novidades. Fotos, vídeos e outras notícias você acompanha no Facebook, no Instagram ou no nosso site. Assista aqui o episódio 1.

A Escola Park Tool está no Brasil desde 2013 e já formou mais de 2.000 alunos. O curso possui dez módulos diferentes. Todos eles funcionam para ciclistas amadores, lojistas do mercado de bicicletas e mecânicos interessados em qualificação profissional. É um curso moderno e totalmente alinhado com as novas tecnologias do mercado.

Assista ao primeiro episódio do Bike Especialista

O Bike Especialista foi uma das iniciativas mais legais que a gente já fez aqui na Escola Park Tool. Depois de todas as etapas testando o conhecimento sobre mecânica de bicicletas de cada um dos participantes até vitória do campeão, Décio Monteiro, é chegada a hora de trazer para você os episódios com o resumo de tudo o que rolou dentro da nossa oficina.

Confira abaixo o primeiro episódio com a prova prática de instalação do ciclocomputador CatEye:

Curtiu? Então, fique de olho no nosso Facebook e no Instagram. Fotos, vídeos e outras notícias você acompanha na nossa página.

A Escola Park Tool está no Brasil desde 2013 e já formou mais de 2.000 alunos. O curso possui dez módulos diferentes e todos eles funcionam para ciclistas amadores, lojistas do mercado de bicicletas e mecânicos interessados em qualificação profissional. É um curso moderno e totalmente alinhado com as novas tecnologias do mercado.

Leia a entrevista exclusiva com o vencedor do primeiro Bike Especialista

Décio Monteiro de Oliveira, 47 anos, é o primeiro Bike Especialista. Formado no curso de mecanica de bicicletas dentro da Escola Park Tool, Décio venceu a primeira edição disputadíssima (com direito a empate na final) do desafio e conquistou mais do que uma vaga como técnico de suspensões SR Suntour e ciclocomputador CatEye dentro da Intac, ele pode finalmente trabalhar com aquilo que gosta: mecânica de bicicleta.

17265742_194916137674257_5401579234860728320_n

Nós da Escola Park Tool batemos um papo com Décio e ele nos contou cada detalhe dessa emocionante disputa. Leia abaixo:

– Como você chegou ao Bike Especialista?

Décio Monteiro: primeiro, minha esposa viu o anúncio no Instagram da Escola Park Tool e me avisou. Depois entrei no site da escola e me inscrevi. Quando soube que iria participar, fui atrás de informações e pesquisei muito sobre a Intac. Como era a empresa, sua posição no mercado, modo de trabalhar, etc. Encarar o desafio foi um impacto grande, pois eu estava acostumado com um outro tipo de dinâmica. Uma entrevista totalmente formal onde o candidato só conversa com o RH ou uma consultoria. Não tem contato direto com as pessoas com quem você vai trabalhar, como foi no desafio. Esse relacionamento fez toda diferença.

– O que você achou da primeira prova prática, quando encarou a instalação do ciclocomputador CatEye?

DM: essa parte foi bem tranquila para mim. Eu pedalo e tive vários ciclocomputadores nas minhas bicicletas. Instalei o equipamento na bike da minha esposa, do meu sogro, etc. Ele é bem simples e dá um ótimo resultado pela quantidade de informação que ele traz. A minha estratégia foi fazer com toda atenção e cuidado como se fosse algo para mim, como se estivesse sendo na minha própria bicicleta.

– E a prova de suspensão? Qual estratégia você seguiu?

DM: apesar de não ter muita prática com suspensões, eu fiz o curso da Escola Park Tool e procurei seguir as orientações que são passadas em sala de aula. A popular receita de bolo, sabe? Olhar o manual para não errar, mas infelizmente não foi o suficiente. Quando acreditei que tinha feito tudo do jeito certo, recebi o feedback que faltou um pouco de iniciativa de olhar o problema e consertá-lo. Fiquei muito atento ao processo e vacilei nisso.

– E como foi a sensação de encarar a grande final?

DM: fiquei muito surpreso com o empate e confesso que senti um pouco ao ter que apresentar um diferencial sobre o Ricardo, meu adversário. Fiquei surpreso, mas não nervoso. Percebi que ele também é um profissional competente e uma pessoa bacana. Se ele ganhasse, seria merecido. Então, tentei ser sincero, direto, intuitivo e sempre transparente. Felizmente deu tudo certo no final.

– Você ainda conversa com os outros competidores do Bike Especialista?

DM: durante todo o processo vamos lidando com pessoas e o que acaba ficando é o companheirismo. Acabei fazendo amizade com todos os outros concorrentes, pois o contato era muito próximo entre as provas. Era muito comum ficarmos conversando sobre bicicleta – um assunto que todo mundo gosta. Acredito que não ficou aquela disputa competitiva e agressiva. O que levamos foi mesmo a amizade.

 – Qual é a expectativa para começar a trabalhar com o que você realmente gosta?

DM: como é a primeira vez que vou trabalhar com bicicletas estou um pouco apreensivo, mas extremamente motivado. Tenho certeza que vou me adaptar porque é um assunto que gosto e isso supera qualquer apreensão. Meu plano é atender a expectativa da Intac para aquilo que me contratam e, conforme surgirem as oportunidades quero aprender cada vez mais. Tenho total entusiasmo para abração coisas novas e me tonrar um grande profissional do ramo dentro da Intac.

Que história, né? Você também pode mudar sua vida e realizar o sonho de trabalhar com o que ama. Venha falar com a gente, faça o curso da Escola Park Tool e, quem sabe, você não pode ser o próximo Bike Especialista?

A Escola Park Tool está no Brasil desde 2013 e já formou mais de 2.000 alunos. O curso possui dez módulos diferentes e todos eles funcionam para ciclistas amadores, lojistas do mercado de bicicletas e mecânicos interessados em qualificação profissional. É um curso moderno e totalmente alinhado com as novas tecnologias do mercado.