Carreira: 6 modelos de negócios para o mecânico de bicicleta

A Escola Park Tool é a primeira instituição especializada na formação, capacitação e qualificação em mecânica de bicicleta na América Latina. Já são mais de 2 mil alunos formados. Mas todos atuam como mecânicos em oficinas? Não. Existe uma infinidade de segmentos que um profissional pode seguir ao adquirir o conhecimento e a certificação internacional da instituição.

Mais do que entregar o diploma, a Escola Park Tool se preocupa em oferecer ao apaixonado por bicicleta a oportunidade de trabalhar com o que ele realmente ama. Quer saber como? Veja abaixo:

1- Bike café

Uma tendência onde o ciclismo urbano é forte, os bikes cafés são pontos de encontro entre ciclistas. É uma alternativa, caso você seja uma pessoa que tenha o sonho de trabalhar no setor de alimentação. O ciclista pode deixar a bicicleta no seu estabelecimento e aproveitar para tomar um café enquanto espera o reparo ser feito. Bem legal, não é mesmo?

“Quando fiz o curso da Escola Park Tool aprendi a atender melhor o meu cliente. Não basta você arrumar a bicicleta. Você precisa buscar o diferencial, dar o diagnóstico e, se possível, avisá-lo antes de um problema maior”, comenta Eriston dos Santos, ex-aluno, mecânico e sócio da Vento a Favor Ciclo Café.

2- Bike Delivery

Rotinas aceleradas em grandes cidades pode ser mais comum do que a gente imagina. As pessoas tem cada vez menos tempo para cuidar da sua bicicleta. Às vezes, o ciclista prefere mandar a bike para a revisão no fim de semana, quando a oficina está cheia. Aí entra o diferencial do Bike Delivery. Buscar a magrela na casa do cliente, fazer os reparos e devolvê-la novinha. Pode ser uma nova carreira para um mecânico de bicicletas.

“Nesse meio, muitos são mecânicos pela prática, mas não têm a teoria. Na escola, eles oferecem essa base que faz toda a diferença quando você entre no mercado de trabalho”, afirma Felipe Wada, ex-aluno da Escola Park Tool e dono de uma oficina que presta serviços delivery.

3- Carreira Internacional

Existem muitos países que o mecânico de bicicletas é uma profissão extremamente valorizada. Por isso, a Escola Park Tool possui alunos formados em mais de seis nações diferentes. Um desses ex-alunos é Rodrigo Notaro, que abriu uma oficina em Sidney (Austrália).

“Trabalho três vezes por semana. Mesmo assim uso muito o conhecimento que adquiri na Escola Park Tool não só no meu trabalho, mas também todos os dias nas bicicletas que monto ou conserto”, contou.

Exemplo clássico: ao formar-se na escola, o conhecimento passa a ser do aluno, assim como o nosso certificado que é reconhecido internacionalmente. Com tudo em mãos, basta criar coragem para encarar esse novo desafio.

4- Consultoria

Já tem formação profissional? Por que não unir esse conhecimento com o conteúdo aplicado na Escola Park Tool? Um de nossos alunos, Bruno Uehara formou-se em arquitetura pela USP, mas não se adaptou ao mercado. Profissional muito talentoso e um verdadeiro apaixonado por bicicletas, ele terminou o curso de formação profissional e veio trabalhar dentro da escola como consultor.

Hoje, Bruno orienta os profissionais a organizarem sua loja, deixando-a mais bonita e aproveitando melhor o espaço utilizado. O trabalho de consultoria é bem valorizado, mas o profissional deve ter aquele espírito empreendedor e sempre vontade de aprender. Se você não tem esse perfil, não tem problema. Temos outras indicações…

5- Oficina

Ter em mãos um certificado de mecânico de bicicletas é o primeiro diferencial para quem planeja abrir sua própria oficina. Além de todo conteúdo teórico e prático, a Escola Park Tool se preocupa em ensinar o aluno a atender e entender o cliente. Isso faz com que o profissional saiba mais do que encontrar a solução para o problema. Ele aprende a alertar o ciclista sobre prevenções, evitando gastos desnecessários em manutenção no futuro.

“Depois que voltei de São Paulo, consegui reestruturar a oficina e comecei de verdade o trabalho. Não tenho dúvidas que o curso só me fez aprender mais e crescer profissionalmente”, disse Leonardo Amante, ex-aluno que abriu sua própria oficina em Recife-PE.

6- Loja

Abrir sua própria loja também é uma opção. Ao entender melhor sobre o mecânica, o lojista terá mais conhecimento na hora comprar ou vender um produto. Isso sem falar que ele poderá orientar seus funcionários (mecânicos ou vendedores) e clientes a passar a informação correta.

“Sempre quis abrir a minha loja, mas eu precisava conhecer de verdade sobre a bike. Eles formalizam o jeito de trabalhar com a bicicleta. Os padrões e organização, além das ferramentas adequadas em cada situação. Realmente foi ótimo e pude adquirir o conhecimento necessário para aplicar em minha oficina”, comentou Guilherme Oliveira Moreira – abriu a própria loja em Barbacena-MG.

Esses são só alguns exemplos. Imagine que tem muito mais. Gostou? Então, fique de olho nas novidades da Escola Park Tool! Entre no site www.escolaparktool.com.br ou veja no Facebook www.facebook.com/escolaparktool.

Bicicleta: 4 dicas para encontrar um mecânico de confiança

Quais critérios um ciclista amador ou profissional deve levar em conta na hora de procurar um mecânico de bicicletas? Uma boa dica da Escola Park Tool é se basear no conhecimento, experiência, qualificação e confiança no profissional. São quatro fundamentos que fazem diferença para o mecânico, pois consegue fidelizar seu cliente e, para quem o contrata, porque encontra um serviço de qualidade.

1 – Mecânico por experiência

Na maioria dos casos, o mecânico de bicicletas é um ciclista que ganhou experiência fazendo reparos na própria bicicleta e decidiu trabalhar nesse segmento. Mas isso dá confiança? Silvio Clara, 33 anos, de São Paulo-SP, pode dizer que não. Ele foi a uma oficina conceituada na capital paulista procurando uma solução para um problema na bicicleta. A resposta não foi o que ele esperava.

“Levei a minha bike num mecânico que era de confiança. Ele olhou e sem me apontar o que estava errado, disse que precisava trocar tudo nela. Que estava tudo ruim. Então, lembrei de um amigo dono de uma oficina recém-aberta. Ele olhou e disse que o problema era na corrente. Trocou o cassete e já estava tudo resolvido”, contou Silvio.

2 – Mecânico qualificado e certificado

O amigo de Silvio é Eriston dos Santos, mecânico e sócio da Vento a Favor Ciclo Café. Eriston entra no perfil citado no início do texto, mas com um diferencial: ele é mecânico profissional formado e capacitado pela Escola Park Tool. Além de arrumar a bicicleta do amigo, ele ganhou um cliente fidelizado à sua loja, cafeteria e oficina.

“O que dá essa credibilidade é o ciclista ver que o mecânico tem experiência e conhecimento. Quando fiz o curso da Escola Park Tool aprendi a atender melhor o meu cliente. Não basta você chegar e arrumar a bicicleta dele. Você precisa dar o diagnóstico e, se possível, avisá-lo antes de um problema maior acontecer como pastilhas de freio, corrente, cabo, etc. O cliente sabe quando você está prestando um serviço ou quando você quer empurrar para ele um produto que tem na loja”, comenta Eriston.

3 – Certificação e qualificação

Para Henrique Zompero, idealizador e fundador da primeira Escola Park Tool da América Latina, a qualidade no serviço é fruto do conhecimento que o profissional deve procurar. O mecânico de bicicletas deve ser atualizado e saber como passar o problema para o ciclista. Isso é que fideliza o cliente.

“Primeira coisa que o ciclista procura é conhecimento técnico. Depois manutenção de forma consciente e, por fim um profissional atencioso que saiba orientá-lo a usar a bicicleta corretamente para evitar custos a mais no reparo. Um mecânico capacitado é um melhor vendedor e uma referência em dar informações sobre o funcionamento da bicicleta”, analisa Zompero.

4 – Opinião profissional

Cadu Polazzo, treinador da Seleção Brasileira de Mountain Bike, aponta o trabalho do mecânico de bicicleta como fundamental e destaca que ele faz toda diferença na performance do ciclista, seja ele amador ou profissional. Com a bike em ordem, o atleta só precisa se preocupar com a parte física e técnica, o que pode ser uma vantagem em uma prova, por exemplo.

cadu_001_baixa

Cadu Polazzo, treinador da Seleção Brasileira de MTB (Foto: Alvaro Perazzoli)

“A bicicleta precisa estar em perfeito estado de funcionamento para o ciclista isolar a performance do organismo. Ter um equipamento 100% permite ao atleta se preocupar somente com o rendimento do corpo. É fundamenta saber o mecânico faz mais do que simplesmente ajustar a bicicleta. Ele precisa conhecer o jeito do ciclista e como ele gosta de pedalar, sua posição, como ele muda a marcha, qual é a profundidade que aperta o freio e posição do manete, por exemplo. Por isso seu trabalho é tão importante e a escolha deve ser criteriosa”, finaliza Cadu.

Quer saber mais sobre os cursos da Escola Park Tool? Entre no site www.escolaparktool.com.br ou veja no Facebook www.facebook.com/escolaparktool.

Mecânico, lojista e consultor: alunos encontraram na bicicleta sua profissão

“Faça aquilo que gosta e não terá de trabalhar um único dia na sua vida”. Essa é uma das famosas frases de Warren Buffet, empresário norte-americano. O mesmo vale para o mercado de bicicletas. Se é um ciclista apaixonado, por que não trabalhar com o que você mais ama?

Quando exercemos uma profissão pela qual nos identificamos, o prazer e a vontade de sempre aprender são ainda maiores. É isso o que acontece na Escola Park Tool. No curso de mecânicos de bicicleta é muito comum os alunos entrarem para assistir às aulas básicas, descobrirem uma porta para mudar de vida e alinharem a paixão pela bicicleta com a vida profissional.

Para nós, acompanhar esses casos é gratificante. Veja 3 exemplos e entenda o porquê:

De arquiteto para mecânico de bicicletas

Bruno Uehara cursou arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (FAU/USP) e trabalhou em empresas especializadas na área, mas não se sentia feliz ou realizado profissionalmente. Apaixonado por bicicleta, fez o módulo Amador na Escola antes de viajar aos Estados Unidos, onde completou sua segunda formação em desenvolvimento de quadros de bicicleta (Frame Building). Voltou ao Brasil, terminou o curso de Formação Profissional da Escola Park Tool e hoje é funcionário da própria instituição, onde dá consultoria para lojistas e mecânicos de bicicleta.

Foi na própria Escola que Bruno teve a chance de trabalhar como mecânico da Focus XC Team Brasil na etapa de abertura da Copa Internacional de Mountain Bike 2016.

Do Brasil para Austrália

Um dos primeiros alunos da Escola Park Tool, Rodrigo Notaro começou no módulo iniciante em busca de conhecimentos básicos para fazer reparos na bike por segurança e se preparar para qualquer emergência durante o pedal. Rodrigo se impressionou com a estrutura do lugar, o conteúdo oferecido nas aulas e a capacidade de associar o amor pela bicicleta com uma carreira profissional. Depois de completar outros quatro módulos, Rodrigo saiu do Brasil, mudou-se para Sidney, na Austrália, onde vive e trabalha até hoje como mecânico de bicicletas.

De bancário para dono de Bike Delivery

Felipe Wada era bancário quando fez o seu primeiro curso na Escola Park Tool. Começou no módulo básico e ficou impressionado com as técnicas ensinadas pelos instrutores da escola. Na própria necessidade, encontrou a oportunidade. Quando bancário, Felipe não tinha tempo de levar a bicicleta na oficina. Então, saiu do banco e abriu o próprio negócio: uma oficina delivery que pega e leva a bike na casa do cliente para realizar todos os reparos necessários e até limpeza.

Esses três exemplos mostram como é possível trabalhar com o que é apaixonado. E o mérito é 100% desses alunos. Afinal, de que adiantaria oferecer o melhor conteúdo do mundo em mecânica de bicicletas e despertar o interesse dos alunos, mas eles não irem atrás? A Escola Park Tool oferece oportunidade e cabe ao estudante buscar o seu sonho.

Gostou? Esperamos que essas histórias tenham sido inspiradoras. Afinal, sorte é quando a oportunidade encontra-se com a capacidade. Na Escola Park Tool, temos casos de alunos que encontraram tudo isso.

Fique de olho nas novidades da Escola Park Tool! Entre no site www.escolaparktool.com.br ou veja no Facebook www.facebook.com/escolaparktool.

Capacitação: o diferencial para a sua oficina de bike

Capacitação: ação ou efeito de qualificar. Para quem quer ser posicionar bem no mercado, seja ele qual for, é preciso se qualificar profissionalmente.

No ramo das bikes não é diferente. Ter um mecânico especializado e capacitado para cuidar da oficina da sua loja é um diferencial que você busca para sobressair-se no mercado. E mais: um requisito básico!

O que um mecânico capacitado pode trazer ao meu negócio?

Segurança: um especialista em mecânica, traz segurança a você e aos seus clientes. O know how na hora de uma manutenção pode fazer a diferença. A chance do seu cliente voltar com bicicleta depois de um possível erro na manutenção é mínima;

Garantia de um serviço de qualidade: aquela história de saber fazer e atender da forma correta. Por isso a capacitação deve ser teoria e prática, o que é oferecido pela Escola Park Tool. Essa combinação é o que prepara o profissional para prestar um serviço da melhor forma;

Fidelização: para o ciclista, a bicicleta é o seu bem mais precioso. Se ele encontrar alguém que vai tratá-la melhor do que ele mesmo, ele não vai largar esse mecânico e sempre voltará a sua loja! Além disso…

Agrega valor e credibilidade: quando você tem um mecânico capacitado em sua oficina, ele acaba se tornando uma espécie de imã. Pela qualidade de serviço prestado, seu negócio pode virar referência. Isso gera credibilidade e atrai cada vez mais clientes, que buscam um confiança, segurança e eficiência.

Atendimento: conhecimento técnico é a base, mas não pode esquecer que está lidando com pessoas. Saber apresentar-se, defender seu ponto de vista e atender as necessidades de cada cliente.

Os cursos oferecidos pela Escola Park Tool vão ao encontro da sua necessidade, uma vez que formam um mecânico completo em 66 horas de aulas presencias. A nossa formação profissional inclui os módulos iniciante, intermediário, avançado, relação, suspensão, Di2 eletrônico, freio hidráulico, rodas, estágio e avaliação.

Padronização de processos, organização, conhecimento total da bicicleta, métodos de atendimento e autonomia são algumas coisas que você leva ao sair da Escola Park Tool.

Nosso conteúdo é mundialmente reconhecido e exclusivo para você desenvolver ainda mais o seu negócio.

Perto do Ibirapuera, Escola Park Tool inaugura nova unidade

A Escola Park Tool inaugurou oficialmente nessa quinta (3) a sua nova unidade. Com a participação de alunos, ex-alunos, lojistas, parceiros, jornalistas e outros profissionais do mercado, o lançamento da nova Escola Park Tool foi um sucesso. E mais: mais um passo dado na busca pela profissionalização e capacitação dos mecânicos de bicicleta.

“Foi muito positivo. Tivemos a chance de reencontrar amigos e fazer contatos com pessoas importantes que vão ajudar nos próximos passos da escola. Com certeza nos ajudou a mostrar a profissionalização e a organização para os alunos e as pessoas ligadas ao segmento”, analisa Henrique Zompero, fundador da Escola Park Tool no Brasil.

Perto do Ibirapuera, Escola Park Tool inaugura nova unidade equipamentos

A nova unidade fica na Rua Sargento José Espessoto, nº 25, no bairro da Vila Mariana, em São Paulo-SP. A Escola Park Tool está próxima do Parque do Ibirapuera e a cerca de 15 minutos de caminhada partindo do Metrô Ana Rosa, estação das linhas Verde e Azul do metrô.

Quer saber mais sobre a Escola Park Tool? Entre no site www.escolaparktool.com.br ou veja tudo na página do Facebook www.facebook.com/escolaparktool.

Dica da Escola Park Tool: o que checar na bike antes do pedal?

Capacete, mochila, carteira e celular. O carro fica na garagem. Tudo pronto para pegar a bicicleta e ir embora. Será mesmo? Antes de subir na magrela é preciso conferir detalhes importantes como pneus, freios e alinhamento, mas por onde começo?

Separamos QUATRO DICAS que podem ajudar na preparação da sua bike antes de encarar o trajeto. Um hábito simples e rápido que, se feito da maneira correta, não leva mais do que 5 minutos e faz toda diferença. Portanto antes de pedalar, não se esqueça de:

Checar a calibragem do pneu: Pneus muito cheios não aderem na curva e deixam a desejar no amortecimento. Já os murchos podem causar danos nos aros das rodas, além de aumentar a possibilidade de furos. Agora convenhamos: trocar um pneu dá muito mais trabalho do que calibrá-lo, certo?

Por isso, cheque sua calibragem. A quantidade correta de ar está descrita logo ao lado do pneu. Basta seguir as nossas dicas e ficar atento às informações do fabricante.

Testar os freios: Se os freios não estiverem em ordem, o ciclista corre grande risco durante o pedal. O processo vai dos manetes no guidão, passa pela pressão dos cabos até chegar às sapatas de borracha. Essas últimas se estiverem ressacadas ou rachadas, devem ser trocadas. O mesmo vale caso estejam desgastadas (espessura de menos de ½ polegada).

Conferir a corrente: A corrente deve estar sempre lubrificada por um óleo especial. Uma dica: Muc-Off! É referência no mercado. Se pensar em usar óleo de cozinha, Singer ou WD-40 pare! Não seja louco! Pedale com segurança. Isso vai evitar danos na bike em situações que envolvem lama, chuva ou maresia, além de reduzir o desgaste excessivo dos pneus.

E as marchas? Estão ajustadas? (se você tem bike fixa, ignore este tópico :)) Dependendo da cidade, não tem jeito: é preciso ter uma bicicleta de marcha. Em São Paulo, por exemplo, há muitas subidas e descidas, e elas são fundamentais. Verificar se elas estão funcionando direitinho vai evitar quedas e problemas na corrente. Fique de olho!

Tudo pronto, agora vem a melhor parte: pedalar. Se quiser uma orientação mais detalhada sobre como deixar a sua bike perfeita, fale com a gente. Nós da Escola Park Tool teremos a maior satisfação em recebê-lo nos nossos cursos