Escolha uma Página

Cansado do mundo corporativo, ele se arriscou para mudar de vida e trabalhar com o que gosta

“Estava infeliz no trabalho e pipocavam alguns pequenos problemas de saúde. Pensei, ‘não vou morrer atrás de uma mesa, vou fazer o que eu gosto.’ Larguei tudo mesmo, tomei coragem, briguei com o sócio, peguei minhas coisas na gaveta e me arrisquei para mudar de vida. A gente tem que ser feliz e uma hora tem que virar a chave!”

Essa é daquelas histórias que se repetem. E você deve conhecer alguém na mesma situação,  que deseja mudar de vida, se não for você mesmo(a): profissional experiente, ganhando a vida no mundo corporativo, dono de uma empresa, financeiramente bem. Mas, às vezes, isso não é o suficiente. Em determinada hora da vida, você começa a refletir sobre sua carreira. Será que é isso mesmo que você quer? Por que não arriscar e mudar de vida, ser feliz de verdade fazendo o que gosta?

Foi o que fez Paulo Roberto Dias, 54, nascido e criado na zona sul de São Paulo. Antes um empresário do mundo corporativo – trabalhava na área de comunicação visual, a princípio no setor imobiliário e de construção, depois abriu a própria empresa, voltada para grandes impressões -, hoje é um mecânico profissional e instrutor de bicicleta, realizado e feliz da vida por viver e ganhar a vida com aquilo que sempre foi sua paixão.

“Investir em mim mesmo foi o melhor que fiz em minha vida. Valeu muito a pena fazer o Curso de Formação Profissional na Escola Park Tool, por isso aconselho a outras pessoas que talvez tenham dúvidas: arrisque! Inclusive, é um mercado em plena ascensão, atualmente”, comenta Paulo Dias, o Banzo.

Ciclista apaixonado foi mudar de vida e virou mecânico certificado

Com uma paixão nutrida pela bicicleta há mais de 45 anos, Paulo relembra que sempre pedalou, sendo um fanático por MTB e speed. Curioso, gostava de ajustar as próprias bikes, ir atrás de informações e chegou, inclusive, a trabalhar em lojas de amigos, gerenciando até uma loja em certa época. “Tudo isso, porém, era pura curiosidade, informalidade. Depois, fiquei mais velho e me afastei da área, deixei de pedalar e fui para o mundo corporativo”, explica ele.

“Quando cansei dessa vida de empresário, fui buscar o que gostava, mudar de vida, trabalhar com bicicleta. Pensei, primeiramente, em me capacitar, fazer um bom curso de mecânica de bikes. A ideia era poder atender na minha casa, inicialmente meus amigos e conhecidos e formar uma clientela aos poucos. E, como a Escola já tem a chancela Park Tool, isso foi muito atrativo, já que é uma marca reconhecida no mundo todo”, comentou Paulo.

Hoje, Paulo possui uma oficina, de acordo com ele, enxuta, em sua própria residência. Lá, com uma boa estrutura de ferramentas e acessórios adequados, consegue oferecer serviços a um custo mais atraente a pessoas que vão chegando por indicação de amigos, o boca a boca.

“Sempre gostei de bike mas não era um mecânico graduado. Alcancei a graduação na Escola  e estou colhendo frutos disso agora, e estou completamente realizado”, afirma ele.

“A margem de lucro é bem grande, também pela minha realidade e dinâmica do negócio. E os ciclistas valorizam esse trabalho personalizado, feito com carinho e qualidade. Porque às vezes você leva para uma oficina grande e não tem atenção merecida em sua bike”, lembra o mecânico formado na Escola Park Tool.

Além disso, com o conhecimento que absorveu e o conteúdo de informações que teve acesso, ele teve a confiança necessária para se tornar um instrutor de bicicletas, onde ensina outras pessoas a pedalarem, na Ciclo Femini.

E você, cansado ou infeliz com sua carreira? Quer mudar de vida e ser feliz fazendo o que ama? O mercado de bicicletas está aquecido, com alta demanda de profissionais capacitados. Você pode fazer parte disso e tornar o seu hobby uma fonte de renda. Faça como o Paulo e tantos outros, arrisque, vire a chave, e busque sua realização pessoal!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *