Dica de mecânica: é hora da manutenção do cubo de bicicleta

Parte central das rodas, em que são fixados os raios que se conectam aos aros, o cubo de bicicleta garante o apoio necessário para que você pedale tranquilo. O problema é que, por ser muito exposto, o cubo, especialmente o traseiro, acumula muita sujeira e pode se deteriorar com a falta da manutenção preventiva diminuindo a vida útil. Por isso, saber a hora certa da revisão e como fazer a manutenção correta é crucial.

Antes de mais nada, é preciso lembrar da importância da manutenção preventiva na bicicleta. Algo que muitos ciclistas não dão atenção, mas que é essencial para manter a “saúde” da bicicleta em dia, prolongando a vida útil de peças e componentes.

É por falta da manutenção preventiva que muitas vezes surgem problemas antes do esperado na bicicleta, inclusive no cubo de bicicleta. Um cubo de marcha interna aguenta rodar cerca de 5.000 km e deve ser trocado em aproximadamente 2 anos, mas é preciso estar atento ao seu funcionamento.

Com o passar do tempo e com a ausência de graxa, o cubo de bicicleta traseiro acumula sujeira, como terra e arreia, e pode acabar corroendo a pista do cubo. É possível ver isso ao rodar o eixo e sentir uma “crocância”, um movimento trêmulo no giro da roda.

Podem ser as esferas que estão comprometidas, e isso pode gerar um problema que vai encurtar a vida útil do cubo. Ainda mais se a manutenção demorar mais do que o necessário ou, pior ainda, se a manutenção preventiva for ignorada.

Hora da manutenção do cubo de bicicleta traseiro

Muitas pessoas costumam dizer que a manutenção do cubo de bicicleta traseiro é mais difícil do que a do dianteiro, mas isso é mais um dos mitos criados na mecânica de bicicletas. Na verdade, o processo é simples, o que muda é que no traseiro existe o cassete, de simples e fácil remoção. Neste vídeo abaixo, disponível na série Askbike, do canal no Youtube da Escola, o fundador de diretor de ensino da Escola Park Tool Henrique Zompero explica como realizar a manutenção do cubo de bike traseiro.

Você vai precisar de apenas duas ferramentas para fazer a manutenção do cubo de bicicleta traseiro:

  • Chave auxiliar para remoção de cassete Park Tool SR-11
  • Ferramenta de trava de cassete Park Tool FR5.2H

O primeiro passo consiste em retirar a blocagem e colocar a ferramenta de remoção SR11 no cassete, posicionando-o de forma correta para fazer o torque. Uma dica é ficar no chão para colocar mais força no processo e remover, enfim, a tampa após o torque.

Retirando a tampa, será possível tirar pinhão por pinhão, deixando-os numa ordem lógica para depois colocá-los novamente ao final da manutenção. Depois é preciso tirar o rotor, que tem o mesmo processo, mas sem a ferramenta de cassete.

Lembre-se que os manuais de instrução dos fabricantes ajudam muito na hora de montar ou desmontar as peças e componentes, não se esqueça de checar alguma informação, caso tenha dúvidas.

Para continuar, vamos remover o cubo, e por isso é importante ter a consciência de usar as ferramentas adequadas para cada situação, como a ferramenta de trava FR5.2H, ideal para o aperto correto do cubo.

Será preciso uma pinça magnética ou imã para remover as esferas do cubo (também chamadas de bilhas), para que nenhuma se perca. Para retirá-las, basta levantar a roda, inserir a pinça e pronto, tanto do lado esquerdo como do direito.

Limpando o cubo de bicicleta traseiro

A limpeza do cubo não é complexa, é necessário apenas um pano seco, sem necessidade de qualquer desengraxante. Como o meio do cubo é oco, ao utilizar um desengraxante ele pode acumular e se misturar com a graxa, eliminando o produto que é necessário nessa peça.

Já nas peças que foram retiradas, a dica é utilizar um desengraxante a base d’água, fácil de limpar e ecológico, que não agride em nada os componentes da bike.

No momento em que for necessário aplicar a graxa, cabe sempre o bom senso. Um aplicador de graxa, ou até mesmo uma seringa cirúrgica pode colaborar para colocar a quantidade adequada no cubo.

Depois disso, basta fazer a montagem novamente dos componentes, seguindo a ordem e a lógica da desmontagem. Lembrando: sempre seguindo as instruções do manual do fabricante.

Como muitas outras peças e componentes de bike, existem alguns sistemas diferentes de cubo de bicicleta e a forma como usá-los. Pensando em cada particularidade de cubo, a Escola Park Tool oferece a ciclistas e mecânicos de bicicleta um curso que compõe o curso de Formação Profissional.

É o módulo de Cubo de Marcha Lenta, em que é passado a limpo todo o processo de manutenção, levando conteúdo sobre regulagem, ajuste e capacitando os alunos para a instalação do cubo de bicicleta. É a oportunidade de mecânicos e oficinas garantirem mais um produto e potencial lucro em seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *