Vídeo: Rei da Montanha, Gabriel Giovannini faz curso prático de freios hidráulicos na Escola Park Tool

Gabriel Giovannini realizou o módulo específico da instituição de ensino em parceria com a Corsa Bike Parts, distribuidor Magura no Brasil  

Rei da Montanha, rei das Escadas de Santos e um dos maiores nomes do mountain bike donwhill brasileiro, Gabriel Giovannini continua buscando conhecimento quando se trata de bicicleta. Recentemente ele esteve na Escola Park Tool, em São Paulo-SP, para realizar o curso do módulo Freio Hidráulico da instituição pioneira no Brasil – graças a uma parceria recém-firmada com a Magura Brasil .   

“A gente que é atleta às vezes acha que já sabe tudo sobre mecânica de bicicleta. Mas a verdade é que sempre aparecem tecnologias novas e é importante que a gente esteja atualizado, especialmente com o equipamento que utilizamos”, comentou Giovannini.   

No vídeo abaixo você pode ver um pouco sobre o que o atleta aprendeu sobre freios hidráulicos durante o curso realizado na Escola Park Tool – tem, inclusive, uma dica dele sobre montagem. O módulo Freio Hidráulico da instituição aborda as principais tecnologias de freios Sram, Shimano e Magura.  

 Sobre a Escola Park Tool 

A Escola Park Tool está no Brasil desde 2013 e já formou mais de 6.000 alunos. O curso possui dez módulos diferentes e todos eles funcionam para ciclistas amadores, lojistas do mercado de bicicletas e mecânicos interessados em qualificação profissional. É um curso moderno e totalmente alinhado com as novas tecnologias do mercado. Quer saber mais sobre os cursos da Escola Park Tool? Entre no site www.escolaparktool.com.br ou veja no Facebook www.facebook.com/escolaparktool.

 

Desafio Mecânico atrai público na Shimano Fest e consagra o mecânico mais capacitado do Brasil

Após duas baterias de disputa bem complexas e cheias de emoção, em que foram exigidas técnica e precisão, além de conhecimento e agilidade, saiu o novo campeão do Desafio Mecânico da Shimano Fest 2018. Formado mecânico de bicicletas pela Escola Park Tool, Vinicius Oliveira, de Itapeva-SP, sagrou-se o mecânico número 1 do Brasil – na prova final, o desafio foi montar uma bicicleta speed completa, com montagem e regulagem da sua relação, do jeito correto e no menor tempo possível.

“O desafio foi muito técnico e complicado. Meus competidores também contribuíram para a complexidade, já que são extremamente qualificados. Mas, apesar do nervosismo ter tomado conta em um tempo curto para executar a montagem e os ajustes, consegui vencer após acertar pergunta técnica”, comentou o campeão do Desafio Mecaânico 2018.

Com tempos de montagem bem parecidos, Vinicius Oliveira e Diego Hertel foram para a grande final, enquanto Iedo Brandão de Carvalho ficou com a terceira colocação e levando para casa um cortador de pizza da Park Tool.

Restou a decisão por Perguntas Técnicas para, depois de muita emoção e pressão, chegar ao resultado do vencedor. Sob os olhares de espectadores, tanto ao vivo, na Shimano Fest, quanto online, pela transmissão ao vivo pelo Facebook, Vinicius Oliveira se mostrou preparado e afiado para responder às perguntas e levar para casa o grande prêmio do dia: o Kit de Ferramentas Park Tool PK-3, uma maleta completa da marca favorita dos mecânicos profissionais.

Pelo segundo lugar no Desafio, Diego Hertel ganhou um Kit de Freio Magura Mt Trail Sport, referência mundial em freios de bicicleta.

“Realmente, o desafio deste ano foi bem complexo e mesmo que tenham ficado nervosos, os três competidores se mostraram bem preparados. Com uma avaliação bem criteriosa, o fator determinante foi o aprendizado teórico que eles tiveram com o estudo do manual de cada peça e componente”, explicou Caíque Pereira Alves, instrutor e avaliador da Escola Park Tool no Brasil.

Afinal, não basta apenas a prática. O bom e capacitado mecânico se diferencia, também, por entender cada componente, de acordo com o manual de uso de cada fabricante.

“Agora com a ferramenta nova da Park Tool dá ainda mais estímulo para continuar trabalhando e melhorar a cada dia. Minha ideia é continuar sempre atualizado e buscando novos cursos aqui na Escola Park tool para sempre oferecer o melhor aos clientes”, comemorou Vinicius Oliveira, da Vinibike.

Mais do que uma competição, o Desafio Mecânico da Shimano Fest é uma oportunidade imensa de divulgação do trabalho dos mecânicos formados na Escola Park Tool. Ainda mais numa feira desta grandeza, com centenas de profissionais do segmento, é grande a chance de ampliar a rede de contatos e trocar experiências, também.

“É preciso que os mecânicos estimulem os clientes a avaliá-los no Selo de Qualidade sempre que finalizam algum serviço. Só assim ele poderá aparecer no nosso ranking para poder participar dos desafios futuros e de outras ações exclusivas para quem se formou na Escola”, reforçou Caíque.

“Vi uma brecha no mercado e busquei me capacitar”, afirma o novo vencedor do Selo de Qualidade

A hegemonia do ranking Selo de Qualidade foi quebrada. Depois de alguns meses, Iedo de Carvalho, de São José dos Pinhais-PR, desbancou Vinicius Oliveira no processo que avalia atendimento e serviço e se tornou o melhor mecânico de bicicleta do Brasil no mês de Agosto de 2018.

Formado há 4 anos na Escola Park Tool, Iedo começou a atuar profissionalmente após a conclusão do curso de Formação Profissional. Antes analista de logística e ciclista por paixão, enxergou algumas brechas no mercado que o fizeram se capacitar para, então, tentar mudar o panorama no que diz respeito à mecânica de bikes.

“Sempre gostei de pedalar e competir. Num determinado momento da minha vida, vi que precisava mudar de ares e fazer algo por mim mesmo. Ao enxergar alguns problemas no atendimento e prestação de serviços de mecânica, resolvi buscar conhecimento para tentar mudar essa realidade”, explica o atual campeão do Selo de Qualidade.

Esse espírito empreendedor do Iedo foi decisivo para que ele pudesse realizar o que idealizou: aplicar o conhecimento que aprendeu em seu dia a dia, atendendo da melhor forma os ciclistas, da mesma forma que ele gostaria que fosse atendido, já que também pedala como hobby.

“Notei que em várias lojas e oficinas, os mecânicos não seguiam os padrões nem usavam as ferramentas certas. Alguns iam na base da marreta(!!)”, explica, espantado o melhor mecânico do mês do Selo de Qualidade.

Para Iedo, com o acesso fácil à informação, inclusive sobre bikes e mecânica, muitos ciclistas já sabem o que querem e precisam. “Não podemos pensar que sabemos de tudo, pois não sabemos. O aprendizado é contínuo e foi isso que a Escola Park Tool me passou”, disse ele.

Sobre capacitação profissional e o aprendizado que teve na Escola Park Tool, Iedo afirma que ela foi realmente um diferencial para o sucesso que tem hoje: “realmente, se não fosse a Escola, não teria a base de conhecimento para entrar no mercado. O curso foi um ponto de partida essencial para mim”.

Com um método de trabalho personalizado, Iedo conseguiu fidelizar clientes ao longo desses 4 anos de carreira: “eu trabalho mais por indicação de clientes, não abro a loja. É uma questão de fidelização e de individualizar o atendimento. Resolvi seguir nesta linha pois sou apenas eu na YoBike, em Curitiba-PR. Assim, consigo satisfazer a todas as necessidades, resolvendo os problemas dos clientes, que me elogiam quanto à minha forma de trabalhar”.

Quando é perguntado sobre a metodologia do curso, Iedo afirma que a disciplina e a cultura de organizar e executar processos foram os grandes destaques, já que são determinantes para chegar no resultado que o mecânico e o cliente desejam. “Com a informação e capacitação, te abre uma nova visão a fim de eliminar os erros e oferendo o melhor para os ciclistas”, finaliza o mecânico formado pela Escola Park Tool.

E você, o que está esperando para trabalhar com o que gosta ou até mudar radicalmente de profissão? O mercado de bicicletas está crescendo a cada dia e precisa de mão de obra qualificada para atender aos exigentes clientes e ciclistas. Acesse https://goo.gl/WYNCpn e busque a capacitação para ser reconhecido

O que fazer em caso de quebra de gancheira ou de corrente durante uma cicloviagem?

 

Problemas com a gancheira ou a corrente da bicicleta duranet uma cicloviagem, quem nunca teve que atire a primeira chave allen! Mas e aí, o que fazer: interromper o pedal ou reparar sozinho poder continuar no ritmo? Já adiantamos que, sim, é possível fazer os ajustes por conta própria, mas isso somente é possível se você tem o conhecimento teórico e prático para tais consertos.

Mas o que causa a quebra da gancheira e corrente?

É basicamente o desgaste, aliado à falta de cuidados e de manutenção preventiva que provocam a quebra da gancheira ou da corrente da bicicleta.

Quando este desgaste acontece na corrente, que é a principal parte da transmissão da bicicleta, ele gera impacto negativo em todas as peças que dependem da corrente para funcionar – como o cassete, câmbio e coroa, por exemplo. Além disso, pode causar vibração no cubo além de deteriorar a roldana do câmbio, que em contato com a corrente gera uma trepidação.

Se o problema é na gancheira, diferente do que grande parte dos ciclistas acreditam, ela não quebra apenas quando amassada ou batida. A gancheira pode estar em perfeito estado, alinhada, mas se o câmbio e a corrente estiverem desgastados, na hora em que você pedalar no maior pinhão, colocar na marcha mais leve e fazer força, vai acabar aplicando um torque muito alto. E é exatamente isso que pode acabar desalinhando a gancheira, por ela não ter mais uma estrutura física adequada.

Agora, quando falamos de falta de cuidados, são algumas pequenas coisas, como:

– deixar a bicicleta no chão com o câmbio traseiro para baixo;

– deixar a gancheira, o câmbio e a corrente encostarem no lugar em que parou;

– depois de ter uma queda acidental, não levar para o seu mecânico de confiança para uma revisão

Tudo isso, além da falta de manutenção preventiva, vão causando problemas em sua bicicleta. Podem ser superficiais, mas ao mesmo tempo podem ser muito graves. Por isso, a manutenção preventiva é a forma mais adequada e mais barata para você ter uma vida útil maior da sua bike. É também a melhor opção se você não deseja estragar o seu dia de lazer.

Quais ferramentas são necessárias para levar com você e salvar o pedal?

Uma delas, essencial para o pedal e suficiente para você fazer os reparos básicos e continuar pedalando, é um canivete multi-uso, como o 3.2 da Park Tool. Ele atende perfeitamente suas necessidades durante as emergências, pois vem com chave allen, Philips, chave de corrente, espátulas, alinhador de pistão e outras mais.

Porém, para saber fazer o uso correto das ferramentas, para que e por que utilizá-las, é preciso conhecimento técnico, a outra ferramenta que você irá precisar para pedalar mais tranquilo, com autonomia e segurança.

E é no Curso Iniciante da Escola Park Tool que você garante, em pouco tempo, conhecimento teórico e prático suficientes para ter uma visão geral sobre manutenção e reparos da bicicleta, a importância da limpeza e manutenção preventiva, além de colocar a mão na massa, com apresentação das ferramentas e funções delas, o jeito certo de fazer os ajustes de acordo com os processos do fabricante.

Dica de ouro: tenha uma gancheira reserva!

A gancheira da bicicleta tem papel importante na segurança do quadro, impedindo que ele se quebre (ela quebra para o quadro não se deteriorar e não causar acidentes mais graves). E, assim como você deve ter o kit de emergência do pedal, com itens para reparo de pneus, por exemplo, além das ferramentas, é muito importante ter também uma gancheira reserva.

Além de ser uma solução mais barata e melhor do que qualquer gambiarra, é leve, pequena e pode ser levada como chaveiro, ou na bolsa de selim. Caso haja problemas durante o pedal, o indicado é fazer a substituição da gancheira e não o realinhamento dela, que vai te permitir continuar o pedal até chegar numa oficina de bikes.

Para alinhar novamente a gancheira, são necessárias ferramentas adequadas e um mecânico capacitado para tal ajuste. Agora, se você resolve fazer isso sem o equipamento certo, pode acabar estragando sua bike, causando prejuízo de centenas de reais. Por isso: tenha uma gancheira reserva! As da Gantech são garantia de qualidade e eficiência, além de serem fáceis de encontrar, basta entrar no site oficial deles e encontrar o modelo da sua bicicleta.

E, então, o que achou das dicas? Tem mais dúvidas sobre corrente e gancheiras? Escreva para nós que teremos o prazer em te ajudar. Até o próximo post com mais dicas!

*Por Henrique Zompero

Artigo publicado originalmente no portal Bike Magazine

Magura: marca alemã passa a integrar grade de cursos de mecânica de bicicletas no Brasil

Reconhecida como uma das principais marcas de componentes para bicicleta em todo o mundo, a alemã Magura firmou uma parceria inédita no Brasil: ao lado da Escola Park Tool, agora a marca também oferecerá conhecimento técnico certificado para os mecânicos de bicicleta do país.  

A partir do mês de agosto, os alunos do módulo Freio Hidráulico da instituição pioneira no Brasil também receberão conteúdo exclusivo sobre os freios e canotes hidráulicos da Magura. Assim, as principais tecnologias da marca serão abordadas, assim como já acontece com os freios Sram e Shimano. Outro diferencial é que os lojistas com CNPJ e que atenderem às políticas comerciais do novo distribuidor Magura no Brasil, a Corsa Bike Parts, finalizará o curso como centro técnico autorizado da marca. Ou seja: estarão oficialmente aptos a realizar serviços nos componentes da marca.    

“É importante trabalharmos ao lado de marcas renomadas e reconhecidas mundialmente, mas mais do que isso é fundamental atuar em favor do mercado brasileiro. Fazer  um curso no Brasil e sair como mecânico oficial autorizado é um benefício inclusive para os consumidores que utilizam produtos Magura, já que saberão onde levar sua bicicleta para manutenção e reparos”, explica Henrique Zompero, fundador e diretor da Escola Park Tool.  

 Cursos em Belo Horizonte e em São Paulo 

O módulo Freio Hidráulico da instituição posssui 18 horas de duração, ministradas em dois dias seguidos. Além das tecnologias Magura, os alunos também aprendem, na teoria e na prática, sobre os componentes Shimano e Sram. 

Os primeiros cursos do módulo com os componentes Magura incluídos serão ministrados nos dias 15 e 16 de agosto na unidade Belo Horizonte da Escola Park Tool; na unidade de São Paulo, a partir do dia 18 de setembro.  

Essa medida vai oferecer uma gama maior de profissionais capacitados para os ciclistas, facilitando a manutenção do equipamento. E mais: ainda possibilitará uma nova especialização para os mecânicos que atuam no segmento e buscam qualificação no seu atendimento.  

Para conhecer um pouco melhor sobre a parceria, confira o vídeo clicando aqui 

 Por que a Escola Park Tool? 

Com mais de 2.000 ferramentas, 6.000 alunos formados e reconhecimento internacional, a instituição tem se tornado referência de distribuidores do mercado de bicicletas na busca por profissionais que representem as marcas.  

Maior, mais moderna e ainda melhor: conheça a nova casa da melhor escola de mecânica de bicicletas do Brasil

Nova casa, nova fase. A mesma Escola Park Tool, agora muito maior, mais moderna e mais acolhedora  – especialmente para alunos, mecânicos, parceiros e colaboradores. O novo lar da sede paulista da melhor escola de mecânica de bicicletas do Brasil vai fazer a diferença na vida de muitas pessoas, permitindo ainda mais oportunidades a quem se interessar em se capacitar e ingressar no mercado de trabalho.

“Já estava no planejamento da Escola aumentar e poder oferecer mais conforto ao aluno. Além de modernizar a infraestrutura, ferramentas e, também, melhorar nosso atendimento. Por isso, nossas expectativas são as melhores possíveis”, explica Henrique Zompero, fundador e diretor de ensino da Escola Park Tool.

Com uma infraestrutura ainda maior e novas salas de aula, que terá capacidade para até 90 alunos por dia, a nova casa da Escola Park Tool alia um ambiente agradável e confortável – agora com uma ampla área de descanso e uma nova copa – ao DNA da empresa.

Os alunos estão aprovando a mudança. É o caso de David Jin-Hiroce, paulistano de 38 anos. Ele, que atua na área de vendas, iniciou o curso de mecânica de bicicletas em março e já está concluindo a Formação Profissional da Escola Park Tool.

O espaço ficou muito melhor, com uma bancada ainda maior, mais ferramentas, uma oficina ainda mais completa. Além de mais confortável para nós, tenho certeza que teremos ainda mais oportunidades para começar a atuar na área profissionalmente, dando uma outra cara à mecânica de bicicletas”, comentou o aluno que está estagiando para se inserir de vez no mercado.

Segundo Zompero, este era exatamente um dos objetivos com esta mudança: fazer a diferença na vida de quem estuda na Escola e sempre estar presente na vida de muitos alunos que veem a mecânica de bicicletas como uma profissão.

Ou seja, capacitar e qualificar o mercado brasileiro a partir da expertise dos professores e mecânicos é o objetivo principal da Escola, sempre com um conteúdo completo, teórico e prático. E isso somente é possível devido à confiança depositada pelos alunos e pelas marcas parceiras da Escola – Algoo, Fox, Gantech, Isapa, Innova Tyres, Magura, Manitou, Park Tool, Pro Parts, Rock Shox, Sram e Suntour.

A nova casa é, portanto, uma conquista que deve ser dividida por todos que fazem a Escola Park Tool ser o que é. E você, já conhece a nossa nova casa? Ela fica na rua Jorge Chamas, 294, no bairro da Vila Mariana, em São Paulo. Você já é nosso convidado para visitar nossas novas instalações e, claro, conhecer nossa extensa grade de cursos que podem mudar sua vida.

Confira o vídeo da nova sede da Escola Park Tool em São Paulo:https://goo.gl/1Fc7Gw

 

Dicas do campeão: no top do ranking, mecânico de bicicletas aponta 3 diferenciais para se tornar referência no mercado

Em qualquer profissão é comum nos inspirarmos em pessoas que são referência no que fazem. Para quem é mecânico de bicicletas, não é diferente. Por isso falamos com o campeão do ranking do Selo de Qualidade para passar algumas dicas que podem ajudar a quem trabalha em oficinas ou possui uma loja de bicicletas com serviço de manutenção e mecânica. 

Tetracampeão do ranking que avalia os melhores mecânicos de bicicleta, Vinícius Oliveira sabe que se tornar um mecânico de bike reconhecido no Brasil não é nada fácil. É necessário muito conhecimento, atualizações constantes e, acima de tudo, muito comprometimento com os clientes, para entender e atender suas necessidades. 

Então, dá uma olhada nas dicas que o nosso mecânico campeão separou para você que deseja melhorar seu serviço e estar mais capacitado para os desafios. 

Capacitar-se e buscar atualizações no mercado 

Capacitação é palavra de ordem em qualquer profissão. Quando falamos em mecânica de bicicletas, também. Hoje não há mais espaço para o profissional que não busca o conhecimento na área em que atua. Claro que o talento, a paixão e a experiência do dia a dia contam muito. Mas nada supera o conhecimento técnico, o estudo, a prática. Ou seja, a capacitação. Ela é capaz de preparar o profissional para o mercado e para gerir o seu próprio negócio. 

Se você quiser uma analogia, pense numa pessoa que trabalha num restaurante e faz comida. Esta pessoa pode fazer a comida mais deliciosa do mundo, ter o talento e vocação para a coisa, mas imagine só se ela buscar o conhecimento e a capacitação, como um curso de gastronomia? Com certeza se tornará um profissional de primeira linha, pois conhecimento nunca é demais! 

Buscar referências no mercado 

O bom mecânico conhece como ninguém o que acontece no segmento que atua. E isso é um dever de casa, você precisa saber quais são as tendências, as novidades, os principais produtos e marcas do mercado, assim como ferramentas que possuem a melhor qualidade para executar os serviços com excelência.  

Saber de tudo isso dá ainda mais credibilidade para o mecânico que, com seu conhecimento, será capaz de passar a confiança necessária para o ciclista, dando dicas valiosas sobre os mais diversos assuntos do universo ciclístico e da mecânica de bicicletas.  

Jamais fazer a tal da gambiarra 

É, esse tempo também já passou. Chega de gambiarra! Padrões, manuais e procedimentos existem para serem seguidos e não é à toa que foram criados pelos fabricantes dos mais diversos produtos, peças, ferramentas e componentes de bicicleta. 

Por isso, para manter um bom padrão de serviço e ser reconhecido pelo seu trabalho é imprescindível executar da maneira correta as manutenções, seguindo os protocolos que foram passados pelos fabricantes. Isso proporciona uma qualidade ainda maior ao serviço, além de levar segurança para o ciclista, que consegue, sim, ver quando o mecânico é realmente capacitado ou não. 

 

E aí, gostou das dicas do campeão? Com mais de 250 pessoas avaliando seu serviço como “ótimo”, Vinicius Oliveira conquistou o primeiro lugar do ranking Selo de Qualidade, em junho.  

Ele conseguiu o reconhecimento e hoje colhe os frutos, depois de ter se capacitado na Escola Park Tool, onde fez o curso de Formação Profissional – que totaliza 96 horas de aula presencial e aproximadamente 40 horas de estágio, oferecendo, ainda, o certificado internacional de Mecânico Profissional Certificado pela Park Tool, válido em todos os países do mundo. Inscreva-se, também, e descubra novas oportunidades!

Atual campeão do Selo de Qualidade afirma: “a capacitação mudou meu jeito de trabalhar”

Chegar ao topo de algum campeonato é difícil. Mais difícil, porém, é se manter no topo. Pela terceira vez, o proprietário e mecânico da Vinibike, Vinicius Oliveira alcança, através da capacitação profissional, o lugar mais alto do pódio do Selo de Qualidade, que avalia o atendimento dos mecânicos de bicicleta profissionais no Brasil.

Foi a capacitação feita na Escola Park Tool que permitiu ao Vinicius ser reconhecido pelo trabalho, tanto pelos clientes quanto por empresas do segmento, que veem um profissional pronto para atuar e solucionar problemas de mecânica. Isso e, claro, a qualidade do seu trabalho, atendimento e vontade de a cada dia estar melhor e mais preparado para satisfazer as necessidades dos seus clientes.

“Graças à minha formação de mecânico profissional na Escola Park Tool tenho recebido elogios de muitas pessoas e também convites para participar de eventos e provas de MTB. Inclusive, em maio fui convidado pela Shimano para participar do apoio neutro mecânico em uma ultramaratona, na Serra da Canastra, em Minas Gerais”, comentou o mecânico capacitado pela Escola Park Tool

Vinicius ainda fala que foi uma experiência incrível: “foi ótimo conhecer um lugar novo com natureza espetacular, vários atletas e poder colocar em prática todo conhecimento que adquiri em sala de aula.”

A prática é essencial para a formação de um bom profissional, não importa a área de atuação. Porém, a teoria, o aprendizado e o estudo aprofundado, somados à parte prática são os grandes diferenciais que este profissional pode ter. E é na Escola Park Tool que isso é possível.

“A capacitação mudou muito meu jeito de trabalhar e de entender todo esse mundo da bike. Passei a me preocupar mais com a qualidade do serviço que é prestado e das informações que passo para meus clientes”, complementa o tricampeão do ranking do Selo de Qualidade.

Freio a disco hidráulico: o que você sabe e por que deve entendê-lo melhor

Freio a disco hidráulico: eles são o que há de melhor no mercado e a grande maioria dos ciclistas, hoje em dia, já contam com essa tecnologia em suas bicicletas. Entretanto, existe pouca informação sobre esse tipo de freio e quais os cuidados necessários para terem alta durabilidade e bom funcionamento. É sobre isso que vou falar. Vamos lá!

Falando de forma simples, objetiva e didática, o grande diferencial e principal característica do freio a disco hidráulico é que ele é capaz de atingir uma alta temperatura durante o pedal. E, ainda assim, ele se mantém funcionando normalmente, não apresentando variação de potência de frenagem. Além disso, permite ao ciclista frear usando pouca força em comparação aos outros tipos de freio.

Vale sempre a pena lembrar que freio a disco hidráulico não é tudo igual. Começa pelo fato que eles são projetados para funcionar com conjuntos de peça. Então, o ciclista, seja profissional ou amador, deve saber que eles precisam estar adequados e alinhados entre si – por exemplo, freio Shimano com peças Shimano, Formula com Formula, Magura com Magura Sram com Sram. E MUITO importante: intercambiar peças entre os freios pode comprometer o funcionamento deles.

Depois, as diferenças entre as marcas. Sim, elas existem e são bem grandes! Uns possuem mais potência de frenagem imediata, enquanto em outros a frenagem é gradual. Também variam de acordo com a modalidade praticada – XCO, downhill, mtb speed -, em que cada uma pede um tipo específico de freio a disco hidráulico. Por tudo isso é extremamente importante que o ciclista entenda e compreenda a necessidade de uso.

Dicas essenciais para quem possui freio a disco hidráulico na bicicleta

  • Manutenção preventiva: ela é importante em tudo o que diz respeito à conservação da sua bicicleta. É imprescindível sempre ver a recomendação do fabricante, que consta em todos os manuais que vem com o freio. Geralmente, se não apresentar nenhum tipo de defeito, a manutenção deve ser realizada uma vez por ano;
  • Manter as pastilhas com condições mínimas de uso, com espessura ideal, para evitar o desgaste do rotor e falha na frenagem.
  • Entender melhor a auto necessidade, para fazer a compra mais adequada do tipo de material de pastilha – resina ou metal.
  • Compreender melhor a proposta, condição e tipo de terreno que a bike será usada, já que isso também influencia na escolha da pastilha.
  • Procurar um mecânico capacitado com conhecimento reconhecido pela marca do Freio a disco hidráulico é muito importante e delicado, então é necessário alguém capacitado para tal.

Por que é importante ter conhecimento sobre freio a disco hidráulico?

Aprender e aprofundar o conhecimento sobre determinado assunto sempre é algo valioso. Quando falamos em freio a disco hidráulico não é diferente.

Para o lojista e o profissional que trabalha em uma oficina de bicicletas, é importante pois o capacita ainda mais a conhecer os produtos que revende e utiliza, além de agregar conhecimento técnico específico. Isso permite que a pessoa entenda melhor a necessidade do consumidor, o ciclista, para direcionar a melhor uma compra de acordo com o que ele precisa. Isso gera uma economia para os dois lados e ainda gera credibilidade para o profissional e a loja ou oficina que ele presta serviços.

Para o ciclista, se aprofundar nos sistemas de funcionamento e manutenção das principais marcas de freio hidráulico do mercado o faz ter conhecimento da necessidade para ele optar pela melhor escolha no momento da compra. Um curso específico sobre freio hidráulico traz embasamento e confiança, o que torna mais difícil aquela probabilidade do ciclista ser enganado por profissionais mal-intencionados.

Depois de entender um pouco mais sobre o assunto, é hora de buscar a especialização. No curso da Escola Park Tool você encontra tudo o que precisa e gostaria de saber sobre freio hidráulico, seja você um ciclista, mecânico ou lojista.

Quer saber mais sobre este e outros cursos, ou tem alguma dúvida sobre mecânica de bicicletas? Entre em contato conosco através das redes sociais da Escola Park Tool, será um prazer conversar com você.

 

Este texto foi publicado originalmente na Revista Bicicleta.

3 dicas de mecânica que todo ciclista deve saber

Quem nunca teve problemas na sua bicicleta que atire a primeira chave Allen, não é mesmo? Por isso entender de mecânica de bicicleta é algo tão importante. Dando a largada nesta coluna, o Bike Especialista da Escola Park Tool vai levar até você um conteúdo informativo, com dicas, informações e conselhos para você que ama pedalar não ficar na mão. Ou, se ficar durante o pedal, saber exatamente o que fazer. 

Seja para fazer uma trilha no final de semana ou pedalar até o trabalho, conhecer a sua bike e como ela funciona é essencial. Por estes e outros motivos, o Bike Especialista deste mês traz para você três dicas de mecânica de bicicleta que todo ciclista deveria saber.  

Lubrifique e troque a corrente sempre que necessário 

Você está pedalando e curtindo, mas ouvindo alguns barulhos que não entende muito bem o que são? Pois, então, este é um dos sinais clássicos de que já está na hora de lubrificar a corrente da sua magrela. Bicicletas que só rodam em asfalto exigem menos manutenção do que mountain bikes, que estão em contato constante com a terra. Mesmo assim, fique atento a rangidos, por menores que sejam.  

E a hora certa de trocar a corrente? É simples: fique sempre atento a ela. Apesar de ser uma peça que pode ser considerada barata, a corrente é o principal item de segurança da transmissão da sua bicicleta. E, com o uso constante, ela sofre o desgaste natural pelo atrito das partes metálicas e pela abrasão da terra, poeira, areia. Além disso, se o ciclista força muito a bike, pedalando de pé, por exemplo, ela pode ser prejudicada, precisando de uma troca. 

Quando ela começar a dar sinais que não está mais encaixando perfeitamente nos dentes das engrenagens, dando aqueles famosos “trancos”, é hora de trocar ou levar até o seu mecânico de confiança. Se você pedala na cidade, tenha certeza: essa iniciativa evitará custos muito maiores com o desgaste de outras peças.

Suspensão em bicicleta  

Limpe muito bem a sua suspensão 

Suspensão é coisa séria e cada uma tem a sua particularidade. Todas, porém, têm em comum o manual de uso. E, por isso, toda vez que você for pedalar é importante efetuar uma limpeza superficial, externa e internamente. Com um daqueles panos multiuso que você provavelmente possui na cozinha de casa é fácil fazer a limpeza da sua suspensão. 

Envolva o pano, que deve estar limpo, na haste da suspensão e limpe sempre de baixo para cima, sem usar nenhum produto químico. A direção da limpeza é essencial: se você fizer de cima para baixo é capaz de levar sujeira para dentro da suspensão, ficando mais difícil de higienizá-la. Faça isso nos dois lados, dê atenção ao tubo deslizante e pronto! 

Teste os freios, e troque se derem sinais de desgaste 

Não precisaria nem comentar, mas se os freios não estiverem em ordem, o ciclista corre grande risco durante o pedal. O processo vai das manetes no guidão, passa pela pressão dos cabos até chegar nas sapatas de borracha. Essas últimas, se estiverem ressacadas ou rachadas, devem ser trocadas. Ah, o mesmo vale caso estejam desgastadas (espessura de menos de ½ polegada), beleza?! 

Saber de mecânica de bicicleta é importante para todo o ciclista e, se você ainda não consegue realizar estes processos sozinho, vai uma outra dica para você se capacitar: os cursos da Escola Park Tool, que são capazes de transformar a sua vida. Seja amador ou profissional, para ter independência durante suas pedaladas, os cursos vão levar conhecimento para você pedalar sem problemas e te preparar para os possíveis contratempos. Torne-se, você também, um Bike Especialista! 

 

Este texto foi publicado originalmente na edição de Março/2018 da Revista Bicicleta.