Quer fazer do seu hobby uma fonte de renda? Torne-se um mecânico de bicicletas

Quem nunca pensou em fazer do seu hobby uma fonte de renda, que atire a primeira pedra. É, isso já pode ter passado por sua cabeça, então adiantamos: sim, é possível fazer o que gosta, ter prazer pela jornada diária e ainda ganhar dinheiro com isso. E, no caso do setor de mecânica de bicicletas é ainda mais factível.

“Um curso de capacitação e formação profissional como o de mecânica de bicicletas é a grande oportunidade de você realizar seu sonho, fazendo do trabalho um prazer, sem precisar se sacrificar pelo dinheiro fazendo o que não gosta”, afirma Henrique Zompero, diretor de ensino e fundador da Escola Park Tool.

Porém, ele enfatiza que, para a mudança de vida acontecer e o seu hobby virar uma fonte de renda, a capacitação é mais do que fundamental.

“Quanto mais capacitado, menor é o risco de dar errado. O investimento em si próprio e na oficina, assim como as ferramentas, é algo que se paga mais rápido do que se imagina, pois o uso é constante e contínuo. O que acho válido questionar é: qual é o tamanho do seu sonho e o tamanho da sua vontade de tornar o seu hobby em uma fonte de renda?”, complementa Zompero.

E você, consegue responder a estas perguntas?

Em quanto tempo o investimento retorna?

Uma das coisas mais interessantes no setor de mecânica de bicicletas é que o investimento em um curso de capacitação vai além do conhecimento: ele é revertido em renda em pouco tempo. É uma formação integral que prepara o profissional para o mercado e oferece um rápido retorno financeiro.

Na Escola Park Tool, o aluno que investe na formação tem acesso a um estudo de viabilidade econômica. Nele, é possível enxergar a realidade do mercado que o futuro profissional irá atuar para ter sua nova fonte de renda: demanda do mercado, a oferta de profissionais capacitados e muitos outros fatores são colocados numa equação que sugere ao aluno o tempo em que ele terá o retorno financeiro após o seu investimento, a variar de acordo com o curso escolhido.

O estudo de viabilidade  econômica padrão da Escola aponta que a média de retorno financeiro é de 6 a 8 meses, por módulo.

A mudança de vida por quem apostou em si mesmo

“Sempre gostei de pedalar e competir. Num determinado momento da minha vida, vi que precisava mudar de ares e fazer algo por mim mesmo. Ao enxergar alguns problemas no atendimento e prestação de serviços de mecânica, resolvi buscar conhecimento para tentar mudar essa realidade, e fiz do meu hobby a minha fonte de renda”, explica Iedo de Carvalho, mecânico formado na Escola que atua em Curitiba-PR, eleito duas vezes melhor mecânico de bicicletas do Ranking Selo de Qualidade.

Esse espírito empreendedor do Iedo foi decisivo para que ele pudesse realizar o que idealizou: aplicar o conhecimento que aprendeu em seu dia a dia, atendendo da melhor forma os ciclistas, da mesma forma que ele gostaria que fosse atendido, já que também pedala como hobby.

“Sempre tentava consertar, desde pequeno, as minhas bicicletas e as dos meus amigos. Gostava muito de ajustar os freios da bike, foi o primeiro sistema que procurei entender para eu mesmo arrumar. Depois a relação de marchas e por aí foi, mas até então fazia apenas por prazer. Hoje transformei meu hobby em minha fonte de renda, a minha profissão, trabalhando com o que realmente amo”, conta Hebert Luis Moreira Neto, de Minas Gerais, também formado pela Escola Park Tool que esteve no topo do ranking Selo de Qualidade ano passado.

É verdade, porém, que este passo adiante de tornar o seu hobby uma fonte de renda, não é tão simples. Ou, na verdade, pode não parecer tão simples. As incertezas do futuro, a coragem de investir os recursos em uma formação nova ou um negócio novo podem impedir que apostemos em uma mudança de vida.

Para trabalhar com o que gosta é preciso se mexer e dar o primeiro passo em busca da satisfação profissional. E você, está pronto para fazer do seu hobby a sua nova fonte de renda?

“Em um ano obtive lucro após ter investido em minha capacitação profissional”, afirma mecânico do mês

Muitas pessoas vivem com o receio de investir em si próprias ou em cursos de capacitação profissional. Afinal, nem sempre um investimento é certeza de retorno financeiro. Porém, se existe um segmento que permite num curto tempo obter lucro, este é o da mecânica de bicicletas. Vinicius Oliveira, eleito o melhor mecânico de fevereiro, garante: em menos de 1 ano ele teve retorno do investimento feito.

Natural de Itapeva-SP e dono da oficina Vini Bike Shop, ele foi eleito pela sexta vez o melhor mecânico do Brasil pelo ranking Selo de Qualidade – iniciativa criada pela Escola Park Tool para valorizar os profissionais do setor, gerando reconhecimento do mercado e elevando o nível do trabalho prestado aos clientes apaixonados por bikes.

CONHEÇA OS CURSOS DISPONÍVEIS E TORNE-SE UM MECÂNICO PROFISSIONAL

O retorno financeiro e o reconhecimento dos clientes

Com o conhecimento e experiência adquiridos, Vinicius afirma que teve um aumento significativo na prestação de serviços em sua loja em pouco tempo de atuação profissional. “Após um ano e depois de concluir outros cursos e especializações na Escola, tive um bom retorno financeiro do investimento que fiz em mim mesmo, o investimento que fiz na minha capacitação profissional”, explica Vinicius.

O que antes era uma aposta, hoje é uma realidade: Vinicius ganha a vida com sua oficina, e de acordo com ele foi a capacitação profissional feita na Escola Park Tool que o permitiu ser reconhecido pelo trabalho. E isso é notado tanto pelos clientes quanto por empresas do segmento, que veem um profissional pronto para atuar e solucionar problemas de mecânica.

Mas, claro, a qualidade do seu trabalho, atendimento e vontade de a cada dia estar melhor e mais preparado para satisfazer as necessidades dos seus clientes contam e muito! Não basta apenas um diploma para alcançar o sucesso, ele vem com muito trabalho.

“Graças à minha formação de mecânico profissional na Escola Park Tool recebo elogios de muitas pessoas e também convites para participar de eventos e provas de MTB. Fui o primeiro ganhador do selo de qualidade, e isso é muito gratificante. O conhecimento que adquiri nos cursos me ajudou muito a alavancar o número de clientes e de serviços que presto em minha loja. Hoje eu atendo ciclistas não somente da minha cidade, mas também de várias cidades vizinhas”, comemora ele.

A busca pela capacitação profissional

Foi em 2017 que Vinicius buscou se capacitar e entrar no segmento de mecânica de bicicletas. Ele chegou como aluno e saiu como mecânico profissional. “Fui fazendo aos poucos, conforme conseguia uma data para ir até São Paulo. A capacitação profissional mudou muito meu jeito de trabalhar e de entender todo esse mundo da bike. Passei a me preocupar mais com a qualidade do serviço que é prestado e das informações que passo para meus clientes”, complementa o hexacampeão do ranking do Selo de Qualidade.

 

E você, já pensou em investir em si próprio e ter o seu negócio? Faça como Vinicius e dê este passo em busca da capacitação profissional, muitas vezes uma mudança de vida pode acontecer mais rápido do que você imagina.

Manutenção de bicicleta de performance X bike urbana: existe diferença na hora da escolha do mecânico?

 

 

Que a manutenção de bicicleta é importante para que ela continue rodando por mais tempo sem interferir no seu lazer ou desempenho, isso não é novidade. Ela é essencial para prevenir problemas durante as pedaladas e também para corrigi-los. Mas, existe diferença no cuidado entre uma bike urbana e uma de performance? Definitivamente, não!

Não importa qual seja o modelo da sua bike, se você pedala por lazer, mobilidade ou é um atleta que pedala em busca de resultados. A preocupação e cuidado com a sua bicicleta devem ser os mesmos, independentemente do valor que investiu nela e o tipo de uso que faz.

Ou seja, você precisa é procurar um mecânico profissional capacitado, atualizado, que entenda realmente do assunto e das particularidades do seu modelo, para realizar os ajustes e a manutenção necessários, sem te enganar.

Manutenção de bicicleta: o que procurar num mecânico?

Formação técnica, habilidade, bom entendimento dos manuais, bom atendimento e dedicação: estes requisitos são fundamentais em um mecânico profissional, para que ele seja capaz de realizar os ajustes necessários em sua bicicleta. O conjunto de todos esses fatores formam um profissional apto para te atender da melhor forma, seja qual for a sua bicicleta e sua pretensão de uso.

Hoje, vale lembrar, não existe mais espaço para a famosa “gambiarra”. Nem ela nem apenas a experiência profissional. A capacitação profissional se faz necessária e é através dela que um mecânico irá prestar um serviço de qualidade, já que terá acesso a conteúdos teóricos, práticos e exclusivos das principais marcas e modelos de bikes, assim como componentes. E isso faz toda a diferença!

Cada marca e modelo tem sua particularidade, necessitando uma mão de obra especializada e qualificada para não causar danos neste que é o maior bem do ciclista. Mas, na prática, que diferença faz alguém que tenha qualificação e que conheça todos os detalhes e segredos da mecânica de bicicletas?

PROCURE UM MECÂNICO CAPACITADO E ESPECIALIZADO NAS PRINCIPAIS MARCAS

A atleta olímpica Raiza Goulão, um dos principais nomes do mountain bike brasileiro, diz que já passou por algumas dificuldades com isso – como qualquer ciclista, né?! Hoje, entende perfeitamente o que um especialista em mecânica de bicicletas pode fazer por ela.

“Quem pedala precisa ter o equipamento impecável, em ótimas condições. Quando você tem um mecânico de confiança, que está sempre atualizado e investindo em cursos, facilita demais. Entro nas provas só pensando em pedalar e nada mais”, diz a atleta.

Mas isso, como comentado antes, independe se você é atleta profissional, amador ou um ciclista que pedala por lazer ou por locomoção.

Depois de passar por maus mecânicos, que segundo ele “forçavam a situação e inventavam problemas para o cliente gastar mais”, Willian Cruz, editor do site Vá de Bike – que usa a bicicleta como principal meio de transporte na cidade de São Paulo – tem clara a importância de deixar a bike em um profissional de confiança.

“O bom mecânico é aquele que tem um conhecimento técnico profundo, mas que também se esforça em conhecer a realidade de uso do cliente para sugerir mudanças de configuração da bicicleta. Às vezes, um pneu diferente, um câmbio de outro tipo ou até uma mesa mais alta fazem bastante diferença”, diz Willian.

Para você que já se conscientizou dessa necessidade e da importância de ter um profissional capacitado para realizar a manutenção de bicicleta, a Escola Park Tool possui parceria com as principais marcas de componentes, oferecendo ao ciclista a segurança do melhor atendimento e manutenção, com mecânicos especializados em: Fox, Magura, Manitou, Rock Shox, Suntour e X-Fusion.

Não deixe que a falta de conhecimento prejudique a sua bike e o seu pedal, busque sempre alguém de confiança e qualificado para realizar a sua manutenção.

 

 

Freios de bicicleta: você sabe qual o ideal para praticar cicloturismo?

Freios de bicicleta: você sabe qual o ideal para praticar cicloturismo?

Quando você pratica cicloturismo, nada é mais importante do que a sua segurança, certo? E, para isso, entender sobre um componente específico é essencial: o freio de bicicleta. Saber fazer bom uso e conhecer as diferenças entre os modelos, assim como descobrir o ideal para o seu perfil de ciclista, portanto, é imprescindível. Por isso, veja neste post algumas diferenças entre os principais tipos de freios de bicicleta.

Primeiro, o que o ciclista deve saber é algo bastante abordado nos cursos de mecânica de bicicleta da Escola Park Tool: não existe o “melhor produto” ou “pior produto”. O que existe é um produto que se adequa melhor ao seu perfil de uso.

Partindo deste princípio, o próximo passo é entender o funcionamento dos tipos freios de bicicleta – seja ele a disco hidráulico, a disco mecânico ou v-brake, os modelos mais utilizados.

CONHEÇA OS CURSOS DA ESCOLA PARK TOOL E AUMENTE O SEU CONHECIMENTO

Freios de bicicleta Magura

Uma das principais marcas de componentes do mundo, a alemã Magura possui dois tipos de freios de bicicleta indicados à prática do cicloturismo.

Em um sistema híbrido, sendo uma espécie do clássico v-brake, mas evoluído, com tecnologia hidráulica, o freio Magura HS33 é muito potente e com ótima frenagem para as bicicletas que estão com muito peso. Fácil de trocar, já que basta apenas um encaixe, possui baixo investimento e boa relação custo X benefício.

Outro modelo da marca alemã possui sistema a disco hidráulico, o Magura MT Trail Sport. Ele  conta com configuração de 4 pistões dianteiros e 2 traseiros, uma vez que é o freio da frente o responsável pelo poder de frenagem em até 80%.

Com um alto poder de parada, oferecendo mais confiança por conta do acionamento através de um dedo, sua troca pode ser feita em qualquer lugar, desde que o ciclista esteja apto, bastando apenas trocar o óleo e fazer a substituição das pastilhas. Bastante leve, é bem resistente, tornando-se uma opção de ótimo custo X benefício para quem pratica o cicloturismo.

Freios de bicicleta Shimano

A Shimano também oferece aos cicloturistas um freio com alto poder de frenagem e modulação. É o modelo pertencente ao grupo Deore T6000, cujo “T” indica que é um grupo para o “touring” ou “turistando”, em tradução livre ao português, que indica o uso em bicicletas de cicloturismo. Com um design desenvolvido para uma frenagem com 3 dedos, o T6000 também possui a opção de freios a disco hidráulicos.

Por isso, discos de 180mm foram colocados na roda dianteira e 160mm na roda traseira, o que propicia uma frenagem mais suave. Compatível com pastilhas de resina e acionamento por óleo mineral, o T6000 possui engate tipo Center-Lock.

Freios de bicicleta SRAM

Embora não seja feito especificamente para o cicloturismo, mas para bikes de estrada, o freio de bicicleta Sram Apex pode ir muito bem nas suas viagens. Com tecnologia de freio hidráulico, possui o sistema já consagrado pela marca, HydroR, com opções de rotores de 140mm e 160mm.

É indicado para os ciclistas que buscam melhor desempenho e segurança nas frenagens, sem necessariamente gastar muito com isso.

Manutenção dos freios durante a cicloviagem

Antes de mais nada, algo que ajuda muito ao ciclista é montar um cronograma para fazer a manutenção da sua bicicleta durante o roteiro de cicloturismo. Afinal, uma boa viagem de bicicleta começa sempre pelo planejamento e, lembre-se, sua bike terá um uso contínuo e extremo.

Por esses motivos e pelo desgaste natural, além do acúmulo de sujeira, serão necessárias algumas pausas durante o trajeto para fazer uma manutenção, preventiva e corretiva, caso haja a deterioração das pastilhas ou dos cabos e conduítes, por exemplo.

Além disso, veja mais algumas dicas:

  • Manutenção preventiva: ela é importante em tudo o que diz respeito à conservação da sua bicicleta. É imprescindível sempre ver a recomendação do fabricante, que consta em todos os manuais que vem com o freio. Geralmente, se não apresentar nenhum tipo de defeito, a manutenção deve ser realizada uma vez por ano;
  • Manter as pastilhas com condições mínimas de uso, com espessura ideal, para evitar o desgaste do rotor e falha na frenagem;
  • Entender melhor a auto necessidade, para fazer a compra mais adequada do tipo de material de pastilha, cabos de freio e conduítes.

VEJA COMO SUBSTITUIR AS PASTILHAS DE FREIOS DE BICICLETA NO VÍDEO DA ESCOLA PARK TOOL NO YOUTUBE

 

Como escolher o ideal?

Para escolher entre um tipo de freio é importante que o ciclista entenda o seu próprio perfil e saiba as diferenças, como o tipo de frenagem de cada modelo, o que só é descoberto através do estudo e do uso.

Por exemplo, o freio a disco hidráulico oferece muita segurança e confiança, além de ser capaz de atingir uma alta temperatura durante o pedal, sem apresentar variação de potência de frenagem. Além disso, permite ao ciclista frear usando pouca força em comparação aos outros tipos de freio.

O tipo v-brake é um modelo clássico, confiável e fácil de trocar, mais leve em comparação ao anterior, mas com desempenho baixo diante de chuva, por exemplo.

Mas, e pra você, qual é o melhor tipo de freio, ou qual aquele que melhor se adapta ao seu perfil? Vamos debater?

 

Gestão profissional: como melhorar a administração da minha oficina de bicicleta?

Essa realmente é uma pergunta importante e corriqueira, feita por quem administra ou trabalha numa oficina de bicicleta. Ela se faz muito necessária numa gestão profissional: mas qual é a resposta à pergunta?

A gestão completa de um negócio muitas vezes pode parecer um grande desafio. Inclua nisso a precificação de produtos e serviços dentro de uma oficina de bicicleta, por exemplo, tema também de muita dúvida, que pode variar de acordo com a sua realidade. Afinal, antes de tudo é preciso analisar o seu investimento inicial e como você quer se colocar dentro deste mercado, certo?

Mas é possível, sim, ter acesso ao “mapa da mina” e realizar uma boa gestão profissional. Para tanto, antes de mais nada, serão necessários o conhecimento e capacitação.

CONFIRA AQUI O QUE VOCÊ PRECISA PARA MONTAR A SUA OFICINA

A Escola Park Tool está sempre preocupada em fazer parcerias com empresas que se preocupam em formar o melhor e mais completo profissional possível no segmento de mecânica de bicicleta. Tudo isso para que você esteja apto a realizar os serviços de manutenção ou até montar a sua própria loja ou oficina de bicicleta.

E é aí que os nossos cursos de mecânica se diferenciam: eles te preparam para o mercado, mostrando a importância da capacitação. E esta passa, também, por uma gestão profissional e eficiente do seu próprio negócio.

Gestão profissional que pode ser desenvolvida por uma ferramenta inteligente que o aluno da Escola Park Tool conhece dentro da sala de aula, o Bike Conecta.

Sua gestão profissional facilitada por uma plataforma inteligente

O Bike Conecta é uma plataforma de gestão que contribui na rotina de trabalho de qualquer oficina de bicicleta. Inteligente e intuitivo, o software ajuda demais no controle e administração de entradas, saídas e movimentações financeiras, que ficam armazenadas num banco de dados.

Assim, com mais organização, informações sobre controle de estoque, fluxo de caixa e entendendo melhor como funciona a dinâmica administrativa, é possível ganhar mais dinheiro. Além de fidelizar clientes e conquistar outros, só para citar alguns benefícios.

CONHEÇA OS CURSOS DA ESCOLA PARK TOOL E PROFISSIONALIZE-SE

E quanto à precificação que, como dissemos, varia muito de caso para caso? Ele também pode ajudar a precificar os serviços corretamente. Mas como? O Bike Conecta gera o preço médio das últimas compras, possibilitando um desconto saudável ao lojista e ao consumidor, e até indicando um preço de serviço ou produto condizente ao seu perfil de empresário.

Além de toda essa funcionalidade que colabora para a gestão profissional de uma oficina de bicicleta, como o próprio nome do sistema sugere, ele é uma ponte entre o lojista ou mecânico e o ciclista, fazendo a conexão entre as duas partes. Ele pode ser sincronizado ao aplicativo Strava do ciclista, que conforme percorre os quilômetros pedalando, é avisado por meio de um alerta quando é hora de voltar à oficina para realizar uma manutenção.

O conhecimento adquirido na Escola aliado a tecnologia do Bike Conecta oferece todas as ferramentas para o profissional do setor de bicicletas administrar o seu negócio. E você, está preparado para uma gestão profissional em sua oficina de bicicletas? Conheça nossos cursos e dê um passo rumo à profissionalização.

 

“Ganhar o Selo de Qualidade melhorou a minha vida até financeiramente”

Dono de uma oficina de bicicletas em Curitiba, Iedo de Carvalho teve várias atitudes que o fizeram mudar de vida nos últimos anos. A mais marcante foi quando decidiu deixar de ser analista de logística para trabalhar com o que ama: a bicicleta. Outra aconteceu em agosto de 2018, quando ficou em primeiro lugar no ranking Selo de Qualidade, que avalia atendimento e serviço e classifica mensalmente o melhor mecânico de bikes do Brasil.

Em janeiro de 2019 Iedo mais mais uma vez, através dos votos dos ciclistas, ficou em primeiro entre todos os mecânicos do território nacional. Para ele a conquista vai muito além do reconhecimento: o faturamento dele cresceu em cerca de 40% desde que ele conquistou o topo do ranking pela primeira vez.

“Depois de ganhar em agosto de 2018 deu uma disparada no número de clientes, no número de ciclistas que leva a bicicleta pra mim. Além da visibilidade de estar entre os melhores mecânicos de bicicleta do Brasil, houve uma melhora significativa em relação aos meus rendimentos. Posso dizer que minha oficina está em fase de crescimento, muito graças a ficar em primeiro no Selo de Qualidade”, comenta ele.

Como começou a mudar de vida

A primeira mudança de Iedo foi quando ele decidiu trabalhar com bike. Ciclista desde os 14 anos, ele não era completamente satisfeito trabalhando na área de logística – mesmo tendo um emprego considerado bom. Nesta época, lendo um artigo no site Bikemagazine, decidiu conhecer melhor a Escola Park Tool.

“Achei que era hora de mudar de vida e que este poderia ser um caminho pra mim, já que eu sempre gostei de pedalar. Fazer os módulos de capacitação da Escola Park Tool foi a melhor escolha pra mim na época”, explica.

CONHEÇA OS CURSOS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL E MUDE DE VIDA TAMBÉM

Já formado em administração, a primeira mudança na vida de Iedo foi fazer o curso de formação da Escola Park Tool. Em seguida começou a atender ciclistas de Curitiba-PR, especialmente praticantes de mountain bike. Outro fator decisivo para mudar de vida foi a satisfação pessoal depois de começar na nova profissão.

“Não dá pra comparar a minha satisfação de hoje da época em que trabalhava com logística. Hoje eu faço o que gosto, todo dia eu vou trabalhar feliz pelo que faço. E financeiramente tenho o retorno suficiente pra uma vida tranquila”, explica.

“Pedalei a minha vida inteira, mas depois da faculdade de Administração ingressei em empregos da área. Entrei num ciclo de trabalho e meio que larguei a bike por quase 8 anos. Quando fiz o curso da Escola Park Tool e comecei a trabalhar com bike, foi a melhor coisa que fiz pra mim mesmo”, complementa.

A oficina

Quando iniciou o próprio negócio, a YoBike, Iedo colocou uma meta: ter 300 clientes em carteira. Hoje, menos de 5 anos depois, tem mais de 350 clientes em carteira e pelo menos 115 totalmente fieis, que periodicamente levam as bicicletas para ele cuidar.

“Quando eu iniciei a oficina a renda era bem mais baixa do que hoje, o que é natural. Foi degrau a degrau, com conhecimento e qualificação, que fui tendo mais credibilidade”, conta.

Hoje, a YoBike é Centro Técnico Autorizado de diversas marcas mundialmente conhecidas, como Magura, Sram, RockShox, Shimano e Suntour.

Quer mudar de vida também? Venha para a Escola Park Tool, garanta sua qualificação e tenha a vida que sempre quis, trabalhando com o que gosta.

Manutenção de bicicleta: série da Escola Park Tool tira dúvidas sobre mecânica 

Qual dúvida você tem agora sobre manutenção de bicicleta? Com certeza alguma já veio de imediato – e, se você é apaixonado por bikes como a gente, outras virão se você pensar só um pouco mais. Foi pensando justamente em você e nestas dúvidas que ficam na sua cabeça que a Escola Park Tool criou a série de vídeos #AskBike.  

Para responder tudo o que você sempre quis saber sobre mecânicas de bicicletas, nossos professores especialistas utilizam todo o conhecimento adquirido em anos de estudo e prática dentro da oficina para dar as melhores dicas sobre o assunto.  

Clique aqui para se inscrever no curso iniciante.

Afinal de contas, muita gente faz manutenção de bicicleta em casa – mas é importante dizer que muita gente faz isso do jeito errado! Tire suas dúvidas do jeito certo, com os melhores professores, e utilize a experiência dos instrutores da Escola Park Tool a seu favor e a favor da sua bike.  

A sua opinião vai ser fundamental para isso: coloque no comentário o assunto que você quer ver nos próximos vídeos e nos auxilie a dar as melhores dicas de manutenção de bicicleta pra você.  

Até agora, a série #AskBike conta com dois vídeos:  

Quantos espaçadores podem ser colocados entre a mesa e o topo da bike?
https://www.youtube.com/watch?v=McBbop2oYB4 

Como fazer montagem e manutenção de cubo de roda traseira
https://www.youtube.com/watch?v=8XvLTypfKhc&t=76s 

Assista aos vídeos e dê sua opinião – e aproveite para assinar o canal para receber todas as novidades em primeira mão.  

Centro Técnico Autorizado: Escola Park Tool leva cursos de capacitação para diferentes cidades do Brasil

2019 começa com uma boa notícia para ciclistas de todo o Brasil. Em uma iniciativa inédita no mercado, a Escola Park Tool vai ampliar sua rede de atuação, levando cinco módulos de especialização diferentes para quatro regiões distintas do país: São Carlos-SP, Florianópolis-SC, Campina Grande-PB e Rio de Janeiro-RJ.  

A ampliação está se tornando possível graças a uma parceria com o Encontro de Negócios Cyclomagazine, já que os cursos serão ministrados durante as quatro edições do evento em 2019. Quem concluir os módulos poderá se tornar Oficia Autorizada Sram Rock Shox e/ou Centro Técnico Autorizado Magura.  

“Levar os cursos para mais regiões do país é um dos objetivos da Escola Park Tool. Como temos sedes apenas em São Paulo e Belo Horizonte, para profissionais que são de outras regiões às vezes é difícil conseguir fazer o curso. A partir de agora esperamos que a gente consiga ampliar estas oportunidades”, explica Henrique Zompero, fundador e diretor da Escola Park Tool.   

“É uma excelente oportunidade para que os lojistas e mecânicos de bicicleta destas quatro regiões se capacitem e passem a oferecer um serviço ainda melhor aos ciclistas. Se tornar um centro técnico autorizado traz muita credibilidade”, completou.  

As marcas no Brasil 

Embora fortes mundialmente, as marcas Sram, Rock Shox e Magura têm histórias diferentes dentro do Brasil. Há muitos anos a Proparts trabalha com Sram e Rock Shox, sendo a distribuidora exclusiva dos produtos de ambas dentro do mercado brasileiro.  

Já a Magura tem uma nova distribuidora no país desde o ano passado: a Corsa Bike Parts. Desde 2018 com a representação exclusiva da marca alemã, a empresa tem feito um trabalho de popularização da Magura dentro do território brasileiro.  

Desta forma, ao concluir os módulos referentes às três marcas citadas, e possuindo CNPJ, o aluno terá acesso a compra de peças e ferramentas diretamente com o distribuidor.  

Em comum, tanto a Proparts quanto a Magura estarão participando dos Encontros de Negócios Cyclomagazine em 2019, considerado um dos maiores eventos do mercado de bicicletas brasileiro.  

Para entender melhor sobre os Centros Técnicos Autorizados, clique neste link 

Quando acontecem os cursos  

Os cursos dos módulos Freio Hidráulico, Relação, Suspenão Rock Shox e Shock Traseiro Rock Shox acontecerão durante os encontros, que já têm datas para acontecer: 

São Carlos-SP – de 21 a 24 de fevereiro
Florianópolis-SC – de 23 a 26 de maio
Campina Grande-PB – de 01 a 04 de agosto
Rio de Janeiro-RJ – de 17 a 20 de outubro 

Para mais informações sobre os módulos e para inscrições, o WhatsApp é o (11) 9 7605-4014 ou o e-mail renata@escolaparktool.com.br 

Para mais informações sobre o Encontro de Negócios Cyclomagazine, o telefone é o (11) 3921-8069 ou o e-mail vendas@luanda.com.br 

Nova formação e inserção no mercado de mecânica de bikes: como a bicicleta é um meio de inclusão social

A bicicleta tem um poder enorme de inclusão social. Por meio dela é possível transformar a vida, tanto pessoal quanto profissional. Estes, inclusive, são alguns dos objetivos da parceria entre Escola Park Tool e Instituto Aromeiazero no projeto Viver de Bike, que coloca jovens no mercado de trabalho e possibilita uma formação em mecânica de bicicletas.

“Este programa de estágio e a parceria com o Instituto Aromeiazero nasceram porque vem aumentando muito a demanda de lojas e oficinas por bons profissionais em mecânica. Muitas delas entravam em contato conosco e falavam desta necessidade. A ideia da Escola é, portanto, colaborar com a transformação de vida das pessoas e ajudá-las a ter um trabalho e uma formação, abrindo as portas do mercado”, comenta Henrique Zompero, fundador e diretor de ensino da Escola Park Tool.

A dinâmica funciona da seguinte forma: os alunos se inscrevem no curso Viver de Bike, do Aromeiazero e, ao se formarem, passam por uma seleção antes de continuarem a formação na Escola Park Tool.

A seleção dos participantes é realizada a partir da análise econômica e social. Jovens de baixa renda, pessoas desempregadas e mulheres com afinidade ao mundo das bicicletas e vontade de empreender têm prioridade.

“Metade das nossas turmas é formada por mulheres, contrariando o senso comum de que esse tipo de atividade profissional é restrita ao universo masculino”, comenta Murilo Casagrande, diretor do Aromeiazero.

“Acredito muito nesta parceria pois ela impacta diretamente a vida de muitas pessoas. A bicicleta é capaz de melhorar a vida de uma pessoa de forma integral, e quem participa do projeto se beneficia de algo que vai além do conhecimento sobre mecânica de bicicleta: muda a visão de organização e alguns, inclusive, saem decididos a montar o próprio negócio”, completou Murilo.

Clique aqui e conheça um pouco mais do trabalho da Escola Park Tool

A transformação nas palavras de quem foi beneficiada

Mariana Gomes trabalhava em uma bicicletaria em 2017, onde fazia locação das bicicletas do Aromeiazero. Por querer evoluir no ramo de bikes e aumentar seu conhecimento técnico, ela se inscreveu no curso Viver de Bike e, posteriormente, foi selecionada para continuar a formação e estagiar na Escola Park Tool.

“Foi uma experiência incrível, surpreendente ver como a bicicleta evoluiu, suas técnicas e tecnologias são fascinantes. O aprendizado da Escola enfatizou a importância de atualização e inovação constante, com o mercado em alta e as oportunidades também, é bem abrangente e exigente nos requisitos”, explicou a mecânica profissional e, hoje, coordenadora de projetos do Aromeiazero.

Hoje ela compartilha com outras pessoas do Viver de Bike a experiência que teve na Escola Park Tool: “como monitora tenho outra visão sobre o projeto, inovando a cada turma, expandindo e difundindo o conhecimento da bicicleta em diversos cenários de projetos que participo. Na bicicletaria já tenho mais atividades práticas de manutenção de bicicletas e vendas”.

Já Viola Sellerino conheceu o curso Viver de Bike através de amigo mecânico. Ela já se interessava de mecânica, há anos frequentava uma oficina comunitária, e dava oficina de mecânica básica.

“Tive uma experiência muito positiva na Escola. Me trouxe muito mais confiança. Além de confirmar muito do conhecimento que tinha, também aprendi muitas coisas que estava precisando para trabalhar”, comentou.

Ela destaca o poder do projeto, de aproximar as pessoas do mundo da mecânica e, mais importante, ao mundo do empreendedorismo social. Entender a bicicleta como meio para poder empreender, para começar projetos que criem mudanças.

“É importante para o futuro de cada aluno que busca uma formação, mas também para formar olhares diferentes sobre a economia e a cidade. A bicicleta se revela um meio de transformação social porque ela muda a cidade, na sua estrutura física, cria uma economia de fácil gestão, gera renda e protagoniza o indivíduo”, explicou Viola.

“Hoje trabalho com o Aromeiazero, ajudando a montar oficinas comunitárias e cursos de mecânica básica. Trabalho também como mecânica autônoma, mas o meu interesse principal é dar oficina e criar ações que aproximem sempre mais pessoas à bicicleta”, finalizou.

Com a missão de promover a inclusão social por meio de uma visão integral da bicicleta, também como ferramenta de mudança no modo de vida, o projeto apresenta números que comprovam seu impacto social:

– em 2018, o Viver de Bike formou 57 pessoas, dessas 31 são mulheres;

– 2150 pessoas pedalaram com o Aromeiazero (dessas, 2050 eram crianças e 240 aprenderam a pedalar sem apoio, no Rodinha Zero);

– 135 jovens e adultos aprenderam mais sobre mecânica de bicicleta nas oficinas (incluindo o Viver de Bike com 57 pessoas);

– 264 bicicletas foram consertadas (nas mecânicas comunitárias e cursos oferecidos) e voltaram para as ruas.

Para entender mais o projeto e saber como se inscrever e participar do projeto Viver de Bike, acesse o site do Instituto Aromeiazero.

Selo de qualidade: melhores mecânicos do Brasil em 2018 falam da importância da iniciativa para o mercado

Em janeiro de 2018 a Escola Park Tool criou uma iniciativa que visa valorizar os mecânicos de bicicleta do Brasil, gerando reconhecimento do mercado e elevando o nível do trabalho prestado aos clientes apaixonados por bikes. Um ano depois, o ranking Selo de Qualidade comprova sua eficácia, levando qualidade e um bom serviço aos ciclistas. Ao mesmo tempo que valoriza o trabalho dos mecânicos de bicicleta profissionais, transformando suas vidas e carreiras.

Mês a mês, o ranking do Selo de Qualidade é atualizado, estabelecendo assim o melhor mecânico de bicicletas do Brasil a cada mês. E é partir de avaliações dos próprios clientes que o resultado é obtido. O mecânico que acumula mais pontos pela qualidade de serviço e atendimento oferecidos vence e tem benefícios, tangíveis e intangíveis.

Tangíveis pois tem a oportunidade de participar de eventos e competições de ciclismo, conquistando ainda prêmios pelo conhecimento e trabalho, e lucrando ainda mais com seu negócio. Intangíveis porque estar no topo ou perto dele, aplicando da melhor forma o conteúdo que aprendeu, traz credibilidade e reconhecimento do mercado. Enquanto isso, eleva a qualidade do segmento e aumenta a confiança do ciclista e consumidor.

Veja, na visão dos vencedores do Selo de Qualidade de 2018, o que mudou para eles e por que essa iniciativa é e continuará sendo importante no ciclismo, seja na carreira do mecânico, na vida do ciclista e para a saúde do segmento.

Selo de Qualidade | Vinicius Oliveira

Selo de Qualidade | Vinicius Oliveira

Vinicius Oliveira, mecânico da Vini Bike, em Itapeva-SP, pentacampeão do ranking

“O desenvolvimento da profissão de mecânico está ligado diretamente à experiência que passamos todos os dias nas lojas e oficinas resolvendo problemas diversos. Foi com os cursos da Escola Park Tool que consegui melhorar a qualidade dos serviços que presto, ajudando muito no meu crescimento e também no aprendizado da carreira”.

Graças à minha formação de mecânico profissional na Escola Park Tool tenho recebido elogios de muitas pessoas e também convites para participar de eventos e provas de MTB. Inclusive, em maio fui convidado pela Shimano para participar do apoio neutro mecânico em uma ultramaratona, na Serra da Canastra, em Minas Gerais”.

Selo de Qualidade | Diego Hertel

Diego Hertel, mecânico da D’Bike, em São Bernardo-SP, quatro vezes campeão do ranking

“Essa iniciativa nos ajuda a avaliar e divulgar ainda mais os nossos serviços, servindo como motivação para continuar realizando um atendimento diferenciado e de qualidade e ser reconhecido e valorizado no mercado. O resultado foi consequência dos atendimentos e serviços diferenciados, e da divulgação que fiz para todos meus clientes sobre o ranking e a importância de fazer a avaliação no site da Escola”.

Ele também fala da experiência de ter feito parte da equipe de mecânicos do Big Biker, na etapa de Itanhandu-MG. Este foi um dos prêmios que ganhou ao ser campeão do ranking Selo de Qualidade.

“A experiência foi incrível! O trabalho de mecânico durante uma prova requer muito conhecimento de marcas e modelos de bikes, medidas, etc. Devemos estar sempre atentos a tudo isso, mas estava tranquilo pois os módulos da Escola Park Tool ajudaram muito nesse quesito. Se não tivesse feito este curso, jamais seria capaz de fazer o que fiz no Big Biker”.

 

Selo de Qualidade - Iedo de Carvalho

Selo de Qualidade – Iedo de Carvalho

Iedo de Carvalho, mecânico da YoBIke, em Curitiba-PR, campeão do ranking

“Acho que a iniciativa é de fundamental importância para divulgar o trabalho dos mecânicos e levar confiança aos ciclistas, aparecer junto aos clientes. Para mim foi muito bom e aumentou demais minha clientela e a minha credibilidade, até porque participei do Desafio Mecânico no Shimano Fest, dando mais visibilidade ainda. Um bom resultado no Selo de Qualidade demonstra e comprova que o investimento na capacitação vale a pena, é o reconhecimento”.

Ao enxergar alguns problemas no atendimento e prestação de serviços de mecânica, resolvi buscar conhecimento para tentar mudar essa realidade. Se não fosse a Escola, não teria a base de conhecimento para entrar no mercado”.

 Selo De Qualidade | Hebert M. Neto

Hebert Luis Moreira Neto, da Entre Trilhas, em Ouro Preto-MG, campeão do ranking

“Não só para o mecânico quanto para a loja ou oficina, o ranking ajuda muito! Você ganha credibilidade, passa confiança ao ciclista, que pode procurar dentro do site da Escola um mecânico próximo a ele e perfeitamente capacitado para cuidar da sua bicicleta. Para mim foi uma grande surpresa ter sido reconhecido e alcançar o topo com tão pouco tempo. Mas devo reconhecer que é fruto de um trabalho em equipe e fruto também da divulgação do nosso Selo após a conclusão de algum serviço ou reparo”.

 

Viu só como o Selo de Qualidade é importante? Com ele o mecânico tem um feedback contínuo do seu trabalho, o que irá estimular o profissional a sempre se atualizar no campo de mecânica e até de gestão de negócios. Para o ciclista, ter uma gama grande de mecânicos profissionais oferece segurança e confiança, além de um serviço bem prestado.

Por isso a importância do próprio profissional em divulgar o Selo e incentivar os clientes a fazerem a avaliação do trabalho mecânico. Assim, todo mundo ganha, aquecendo o mercado e elevando ainda mais a qualidade dos serviços de mecânica de bicicleta.