Centro Técnico Autorizado: Escola Park Tool leva cursos de capacitação para diferentes cidades do Brasil

2019 começa com uma boa notícia para ciclistas de todo o Brasil. Em uma iniciativa inédita no mercado, a Escola Park Tool vai ampliar sua rede de atuação, levando cinco módulos de especialização diferentes para quatro regiões distintas do país: São Carlos-SP, Florianópolis-SC, Campina Grande-PB e Rio de Janeiro-RJ.  

A ampliação está se tornando possível graças a uma parceria com o Encontro de Negócios Cyclomagazine, já que os cursos serão ministrados durante as quatro edições do evento em 2019. Quem concluir os módulos poderá se tornar Oficia Autorizada Sram Rock Shox e/ou Centro Técnico Autorizado Magura.  

“Levar os cursos para mais regiões do país é um dos objetivos da Escola Park Tool. Como temos sedes apenas em São Paulo e Belo Horizonte, para profissionais que são de outras regiões às vezes é difícil conseguir fazer o curso. A partir de agora esperamos que a gente consiga ampliar estas oportunidades”, explica Henrique Zompero, fundador e diretor da Escola Park Tool.   

“É uma excelente oportunidade para que os lojistas e mecânicos de bicicleta destas quatro regiões se capacitem e passem a oferecer um serviço ainda melhor aos ciclistas. Se tornar um centro técnico autorizado traz muita credibilidade”, completou.  

As marcas no Brasil 

Embora fortes mundialmente, as marcas Sram, Rock Shox e Magura têm histórias diferentes dentro do Brasil. Há muitos anos a Proparts trabalha com Sram e Rock Shox, sendo a distribuidora exclusiva dos produtos de ambas dentro do mercado brasileiro.  

Já a Magura tem uma nova distribuidora no país desde o ano passado: a Corsa Bike Parts. Desde 2018 com a representação exclusiva da marca alemã, a empresa tem feito um trabalho de popularização da Magura dentro do território brasileiro.  

Desta forma, ao concluir os módulos referentes às três marcas citadas, e possuindo CNPJ, o aluno terá acesso a compra de peças e ferramentas diretamente com o distribuidor.  

Em comum, tanto a Proparts quanto a Magura estarão participando dos Encontros de Negócios Cyclomagazine em 2019, considerado um dos maiores eventos do mercado de bicicletas brasileiro.  

Para entender melhor sobre os Centros Técnicos Autorizados, clique neste link 

Quando acontecem os cursos  

Os cursos dos módulos Freio Hidráulico, Relação, Suspenão Rock Shox e Shock Traseiro Rock Shox acontecerão durante os encontros, que já têm datas para acontecer: 

São Carlos-SP – de 21 a 24 de fevereiro
Florianópolis-SC – de 23 a 26 de maio
Campina Grande-PB – de 01 a 04 de agosto
Rio de Janeiro-RJ – de 17 a 20 de outubro 

Para mais informações sobre os módulos e para inscrições, o WhatsApp é o (11) 9 7605-4014 ou o e-mail renata@escolaparktool.com.br 

Para mais informações sobre o Encontro de Negócios Cyclomagazine, o telefone é o (11) 3921-8069 ou o e-mail vendas@luanda.com.br 

Nova formação e inserção no mercado de mecânica de bikes: como a bicicleta é um meio de inclusão social

A bicicleta tem um poder enorme de inclusão social. Por meio dela é possível transformar a vida, tanto pessoal quanto profissional. Estes, inclusive, são alguns dos objetivos da parceria entre Escola Park Tool e Instituto Aromeiazero no projeto Viver de Bike, que coloca jovens no mercado de trabalho e possibilita uma formação em mecânica de bicicletas.

“Este programa de estágio e a parceria com o Instituto Aromeiazero nasceram porque vem aumentando muito a demanda de lojas e oficinas por bons profissionais em mecânica. Muitas delas entravam em contato conosco e falavam desta necessidade. A ideia da Escola é, portanto, colaborar com a transformação de vida das pessoas e ajudá-las a ter um trabalho e uma formação, abrindo as portas do mercado”, comenta Henrique Zompero, fundador e diretor de ensino da Escola Park Tool.

A dinâmica funciona da seguinte forma: os alunos se inscrevem no curso Viver de Bike, do Aromeiazero e, ao se formarem, passam por uma seleção antes de continuarem a formação na Escola Park Tool.

A seleção dos participantes é realizada a partir da análise econômica e social. Jovens de baixa renda, pessoas desempregadas e mulheres com afinidade ao mundo das bicicletas e vontade de empreender têm prioridade.

“Metade das nossas turmas é formada por mulheres, contrariando o senso comum de que esse tipo de atividade profissional é restrita ao universo masculino”, comenta Murilo Casagrande, diretor do Aromeiazero.

“Acredito muito nesta parceria pois ela impacta diretamente a vida de muitas pessoas. A bicicleta é capaz de melhorar a vida de uma pessoa de forma integral, e quem participa do projeto se beneficia de algo que vai além do conhecimento sobre mecânica de bicicleta: muda a visão de organização e alguns, inclusive, saem decididos a montar o próprio negócio”, completou Murilo.

Clique aqui e conheça um pouco mais do trabalho da Escola Park Tool

A transformação nas palavras de quem foi beneficiada

Mariana Gomes trabalhava em uma bicicletaria em 2017, onde fazia locação das bicicletas do Aromeiazero. Por querer evoluir no ramo de bikes e aumentar seu conhecimento técnico, ela se inscreveu no curso Viver de Bike e, posteriormente, foi selecionada para continuar a formação e estagiar na Escola Park Tool.

“Foi uma experiência incrível, surpreendente ver como a bicicleta evoluiu, suas técnicas e tecnologias são fascinantes. O aprendizado da Escola enfatizou a importância de atualização e inovação constante, com o mercado em alta e as oportunidades também, é bem abrangente e exigente nos requisitos”, explicou a mecânica profissional e, hoje, coordenadora de projetos do Aromeiazero.

Hoje ela compartilha com outras pessoas do Viver de Bike a experiência que teve na Escola Park Tool: “como monitora tenho outra visão sobre o projeto, inovando a cada turma, expandindo e difundindo o conhecimento da bicicleta em diversos cenários de projetos que participo. Na bicicletaria já tenho mais atividades práticas de manutenção de bicicletas e vendas”.

Já Viola Sellerino conheceu o curso Viver de Bike através de amigo mecânico. Ela já se interessava de mecânica, há anos frequentava uma oficina comunitária, e dava oficina de mecânica básica.

“Tive uma experiência muito positiva na Escola. Me trouxe muito mais confiança. Além de confirmar muito do conhecimento que tinha, também aprendi muitas coisas que estava precisando para trabalhar”, comentou.

Ela destaca o poder do projeto, de aproximar as pessoas do mundo da mecânica e, mais importante, ao mundo do empreendedorismo social. Entender a bicicleta como meio para poder empreender, para começar projetos que criem mudanças.

“É importante para o futuro de cada aluno que busca uma formação, mas também para formar olhares diferentes sobre a economia e a cidade. A bicicleta se revela um meio de transformação social porque ela muda a cidade, na sua estrutura física, cria uma economia de fácil gestão, gera renda e protagoniza o indivíduo”, explicou Viola.

“Hoje trabalho com o Aromeiazero, ajudando a montar oficinas comunitárias e cursos de mecânica básica. Trabalho também como mecânica autônoma, mas o meu interesse principal é dar oficina e criar ações que aproximem sempre mais pessoas à bicicleta”, finalizou.

Com a missão de promover a inclusão social por meio de uma visão integral da bicicleta, também como ferramenta de mudança no modo de vida, o projeto apresenta números que comprovam seu impacto social:

– em 2018, o Viver de Bike formou 57 pessoas, dessas 31 são mulheres;

– 2150 pessoas pedalaram com o Aromeiazero (dessas, 2050 eram crianças e 240 aprenderam a pedalar sem apoio, no Rodinha Zero);

– 135 jovens e adultos aprenderam mais sobre mecânica de bicicleta nas oficinas (incluindo o Viver de Bike com 57 pessoas);

– 264 bicicletas foram consertadas (nas mecânicas comunitárias e cursos oferecidos) e voltaram para as ruas.

Para entender mais o projeto e saber como se inscrever e participar do projeto Viver de Bike, acesse o site do Instituto Aromeiazero.

Selo de qualidade: melhores mecânicos do Brasil em 2018 falam da importância da iniciativa para o mercado

Em janeiro de 2018 a Escola Park Tool criou uma iniciativa que visa valorizar os mecânicos de bicicleta do Brasil, gerando reconhecimento do mercado e elevando o nível do trabalho prestado aos clientes apaixonados por bikes. Um ano depois, o ranking Selo de Qualidade comprova sua eficácia, levando qualidade e um bom serviço aos ciclistas. Ao mesmo tempo que valoriza o trabalho dos mecânicos de bicicleta profissionais, transformando suas vidas e carreiras.

Mês a mês, o ranking do Selo de Qualidade é atualizado, estabelecendo assim o melhor mecânico de bicicletas do Brasil a cada mês. E é partir de avaliações dos próprios clientes que o resultado é obtido. O mecânico que acumula mais pontos pela qualidade de serviço e atendimento oferecidos vence e tem benefícios, tangíveis e intangíveis.

Tangíveis pois tem a oportunidade de participar de eventos e competições de ciclismo, conquistando ainda prêmios pelo conhecimento e trabalho, e lucrando ainda mais com seu negócio. Intangíveis porque estar no topo ou perto dele, aplicando da melhor forma o conteúdo que aprendeu, traz credibilidade e reconhecimento do mercado. Enquanto isso, eleva a qualidade do segmento e aumenta a confiança do ciclista e consumidor.

Veja, na visão dos vencedores do Selo de Qualidade de 2018, o que mudou para eles e por que essa iniciativa é e continuará sendo importante no ciclismo, seja na carreira do mecânico, na vida do ciclista e para a saúde do segmento.

Selo de Qualidade | Vinicius Oliveira

Selo de Qualidade | Vinicius Oliveira

Vinicius Oliveira, mecânico da Vini Bike, em Itapeva-SP, pentacampeão do ranking

“O desenvolvimento da profissão de mecânico está ligado diretamente à experiência que passamos todos os dias nas lojas e oficinas resolvendo problemas diversos. Foi com os cursos da Escola Park Tool que consegui melhorar a qualidade dos serviços que presto, ajudando muito no meu crescimento e também no aprendizado da carreira”.

Graças à minha formação de mecânico profissional na Escola Park Tool tenho recebido elogios de muitas pessoas e também convites para participar de eventos e provas de MTB. Inclusive, em maio fui convidado pela Shimano para participar do apoio neutro mecânico em uma ultramaratona, na Serra da Canastra, em Minas Gerais”.

Selo de Qualidade | Diego Hertel

Diego Hertel, mecânico da D’Bike, em São Bernardo-SP, quatro vezes campeão do ranking

“Essa iniciativa nos ajuda a avaliar e divulgar ainda mais os nossos serviços, servindo como motivação para continuar realizando um atendimento diferenciado e de qualidade e ser reconhecido e valorizado no mercado. O resultado foi consequência dos atendimentos e serviços diferenciados, e da divulgação que fiz para todos meus clientes sobre o ranking e a importância de fazer a avaliação no site da Escola”.

Ele também fala da experiência de ter feito parte da equipe de mecânicos do Big Biker, na etapa de Itanhandu-MG. Este foi um dos prêmios que ganhou ao ser campeão do ranking Selo de Qualidade.

“A experiência foi incrível! O trabalho de mecânico durante uma prova requer muito conhecimento de marcas e modelos de bikes, medidas, etc. Devemos estar sempre atentos a tudo isso, mas estava tranquilo pois os módulos da Escola Park Tool ajudaram muito nesse quesito. Se não tivesse feito este curso, jamais seria capaz de fazer o que fiz no Big Biker”.

 

Selo de Qualidade - Iedo de Carvalho

Selo de Qualidade – Iedo de Carvalho

Iedo de Carvalho, mecânico da YoBIke, em Curitiba-PR, campeão do ranking

“Acho que a iniciativa é de fundamental importância para divulgar o trabalho dos mecânicos e levar confiança aos ciclistas, aparecer junto aos clientes. Para mim foi muito bom e aumentou demais minha clientela e a minha credibilidade, até porque participei do Desafio Mecânico no Shimano Fest, dando mais visibilidade ainda. Um bom resultado no Selo de Qualidade demonstra e comprova que o investimento na capacitação vale a pena, é o reconhecimento”.

Ao enxergar alguns problemas no atendimento e prestação de serviços de mecânica, resolvi buscar conhecimento para tentar mudar essa realidade. Se não fosse a Escola, não teria a base de conhecimento para entrar no mercado”.

 Selo De Qualidade | Hebert M. Neto

Hebert Luis Moreira Neto, da Entre Trilhas, em Ouro Preto-MG, campeão do ranking

“Não só para o mecânico quanto para a loja ou oficina, o ranking ajuda muito! Você ganha credibilidade, passa confiança ao ciclista, que pode procurar dentro do site da Escola um mecânico próximo a ele e perfeitamente capacitado para cuidar da sua bicicleta. Para mim foi uma grande surpresa ter sido reconhecido e alcançar o topo com tão pouco tempo. Mas devo reconhecer que é fruto de um trabalho em equipe e fruto também da divulgação do nosso Selo após a conclusão de algum serviço ou reparo”.

 

Viu só como o Selo de Qualidade é importante? Com ele o mecânico tem um feedback contínuo do seu trabalho, o que irá estimular o profissional a sempre se atualizar no campo de mecânica e até de gestão de negócios. Para o ciclista, ter uma gama grande de mecânicos profissionais oferece segurança e confiança, além de um serviço bem prestado.

Por isso a importância do próprio profissional em divulgar o Selo e incentivar os clientes a fazerem a avaliação do trabalho mecânico. Assim, todo mundo ganha, aquecendo o mercado e elevando ainda mais a qualidade dos serviços de mecânica de bicicleta.