“A crise me fez refletir e fui atrás de um curso de capacitação para otimizar meu negócio”

Ele é ex-piloto de downhill e administra a Bike Tech Jardins desde 2005, tendo iniciado sua trajetória como empresário ainda em 1993, quando adquiriu sua primeira loja. Com mais de 30 anos dedicados ao meio bike, há quem possa achar que é tempo o bastante para não precisar se capacitar ou estudar. Mas Caetano Zammataro pensa diferente: por isso, buscou um curso de capacitação em mecânica de bicicletas, afinal, quanto mais conhecimento do seu negócio e mais capacitado o profissional, melhor. 

Por ter uma experiência como piloto e ciclista urbano, Caetano pôde observar alguns “buracos” e carências no mercado de bikes. “Vindo do outro lado, tinha uma visão sobre o que faltava para o consumidor. Apesar disso, quando iniciei minha trajetória como empresário, cometi muitos erros, ainda mais num mercado instável como o nosso”, explica ele. 

O que fez buscar o curso de capacitação? 

Os erros, sabemos, fazem parte de qualquer negócio e é natural que eles aconteçam. Sem eles, inclusive, é impossível saber quais caminhos ou estratégias podem ser evitados. E quando a crise bate, então… 

Caetano acredita que uma crise econômica é uma ótima oportunidade de avaliar o que tem sido feito nos negócios e na gestão, assim como ajuda e incentiva a pensar em novas soluções e estratégias para uma empresa, seja uma loja ou oficina mecânica. 

“Quando a fase não estava tão boa, com altos e baixos, refleti muito sobre meu negócio e percebi que faltava um cuidado e uma preocupação maiores com os processos internos e os procedimentos dos serviços que prestamos. Foi aí que me deu o estalo para buscar um curso de capacitação”, comenta o empresário paulistano. 

“Queria aprender a parte teórica de algo que conhecia apenas na prática, através da experiência no pedal”, reforça. E foi assim que ele chegou até a Escola Park Tool, se inscrevendo no Curso de Formação Profissional e encontrando o que buscava: processos, padronização, conhecimento sobre gestão da empresa e, claro, muita mão na massa. 

E Caetano lembra um fato marcante sobre o aprendizado que teve: “Me arrependo de não ter buscado a capacitação antes. Para se ter uma ideia, eu achava que sabia trocar um pneu da forma certa. Mas em todos esses anos de bicicleta sempre havia feito o procedimento errado. Foi no curso da Escola Park Tool que aprendi o jeito certo e adequado, respeitando as normas e os processos. Isso te desconstrói: você não pode achar que sabe tudo, tem que ter humildade para querer aprender e crescer. E foi o que fiz, eu estava lá disposto a aprender!” 

O que mudou depois da capacitação… 

Caetano afirma, também, que sua vida profissional mudou muito após o curso. Assim como a sua visão de negócios. “Estudando a minha empresa, cheguei à conclusão que minha oficina era um produto a ser explorado, pelo potencial dela. E foi o curso de capacitação da Escola que abriu a minha visão e transformou minha forma de gerir e pensar no meu negócio”, lembra ele. 

Foi com a capacitação que ele conseguiu trabalhar como mecânico oficial da RAAM (Race Across America), – o curso de capacitação profissional garante diploma internacional válido em todos os países do mundo – ficando responsável pelos ajustes antes e depois das etapas, sentido a pressão de uma das provas mais árduas do ciclismo.  

Além disso, ele ainda cita 3 coisas que foram transformadas para melhor dentro da sua loja, localizada no bairro do Jardins, em São Paulo: 

  • Gestão da oficina; 
  • Gestão de preço e custos de mão de obra; 
  • Otimização de tempo e tarefas graças aos processos que aprendeu durante o curso 

 

E você, precisando dar uma otimizada no seu negócio? Quer saber mais sobre gestão e processos e se tornar um profissional ainda mais capacitado e especialista no que faz? Faça igual ao Caetano e vire o jogo, vá atrás da capacitação. Só quem tem a ganhar é você, sua loja ou oficina e, acima de tudo, o seu cliente. Entre em contato e conheça nossos cursos. 

Dicas do campeão: no top do ranking, mecânico de bicicletas aponta 3 diferenciais para se tornar referência no mercado

Em qualquer profissão é comum nos inspirarmos em pessoas que são referência no que fazem. Para quem é mecânico de bicicletas, não é diferente. Por isso falamos com o campeão do ranking do Selo de Qualidade para passar algumas dicas que podem ajudar a quem trabalha em oficinas ou possui uma loja de bicicletas com serviço de manutenção e mecânica. 

Tetracampeão do ranking que avalia os melhores mecânicos de bicicleta, Vinícius Oliveira sabe que se tornar um mecânico de bike reconhecido no Brasil não é nada fácil. É necessário muito conhecimento, atualizações constantes e, acima de tudo, muito comprometimento com os clientes, para entender e atender suas necessidades. 

Então, dá uma olhada nas dicas que o nosso mecânico campeão separou para você que deseja melhorar seu serviço e estar mais capacitado para os desafios. 

Capacitar-se e buscar atualizações no mercado 

Capacitação é palavra de ordem em qualquer profissão. Quando falamos em mecânica de bicicletas, também. Hoje não há mais espaço para o profissional que não busca o conhecimento na área em que atua. Claro que o talento, a paixão e a experiência do dia a dia contam muito. Mas nada supera o conhecimento técnico, o estudo, a prática. Ou seja, a capacitação. Ela é capaz de preparar o profissional para o mercado e para gerir o seu próprio negócio. 

Se você quiser uma analogia, pense numa pessoa que trabalha num restaurante e faz comida. Esta pessoa pode fazer a comida mais deliciosa do mundo, ter o talento e vocação para a coisa, mas imagine só se ela buscar o conhecimento e a capacitação, como um curso de gastronomia? Com certeza se tornará um profissional de primeira linha, pois conhecimento nunca é demais! 

Buscar referências no mercado 

O bom mecânico conhece como ninguém o que acontece no segmento que atua. E isso é um dever de casa, você precisa saber quais são as tendências, as novidades, os principais produtos e marcas do mercado, assim como ferramentas que possuem a melhor qualidade para executar os serviços com excelência.  

Saber de tudo isso dá ainda mais credibilidade para o mecânico que, com seu conhecimento, será capaz de passar a confiança necessária para o ciclista, dando dicas valiosas sobre os mais diversos assuntos do universo ciclístico e da mecânica de bicicletas.  

Jamais fazer a tal da gambiarra 

É, esse tempo também já passou. Chega de gambiarra! Padrões, manuais e procedimentos existem para serem seguidos e não é à toa que foram criados pelos fabricantes dos mais diversos produtos, peças, ferramentas e componentes de bicicleta. 

Por isso, para manter um bom padrão de serviço e ser reconhecido pelo seu trabalho é imprescindível executar da maneira correta as manutenções, seguindo os protocolos que foram passados pelos fabricantes. Isso proporciona uma qualidade ainda maior ao serviço, além de levar segurança para o ciclista, que consegue, sim, ver quando o mecânico é realmente capacitado ou não. 

 

E aí, gostou das dicas do campeão? Com mais de 250 pessoas avaliando seu serviço como “ótimo”, Vinicius Oliveira conquistou o primeiro lugar do ranking Selo de Qualidade, em junho.  

Ele conseguiu o reconhecimento e hoje colhe os frutos, depois de ter se capacitado na Escola Park Tool, onde fez o curso de Formação Profissional – que totaliza 96 horas de aula presencial e aproximadamente 40 horas de estágio, oferecendo, ainda, o certificado internacional de Mecânico Profissional Certificado pela Park Tool, válido em todos os países do mundo. Inscreva-se, também, e descubra novas oportunidades!